Chat

Feliz 55 Anos Michael Jackson por uma fã.

Em quase todos os anos postei aqui minha tristes e fieis palavras para falar o quanto és importante e o quanto ainda lembramos de Você. Hoje é a data de mais um de seus aniversários e quem faz a mágica somos nós fãs.

Mesmo que sua partida esteja presente em todos os lugares os fãs ainda resistem nessa louca loucura de achar que volta um dia. Os fãs fazem a própria verdade deles e é nela que ainda está vivo como fogo. Quente forte e incontrolável.

Não deixamos ninguém abalar teu legado não deixamos ninguém ousar a tocar em sua maestria e linda arte ou mesmo copiá-la e sair impune. A sua arte é séria seu trabalho seu árduo trabalho foi sério e é levado a sério por nós.

Jamais esqueceremos tua importante passagem por nossas vidas e jamais será substituído não deixaremos e você mesmo não deixará, uma vez que vivemos até hoje colhendo os frutos de sua dedicação.

Escolhemos viver ao lado de tua verdade porque deixou cada um de nós fazer parte dela. Sem importarmos com o que vinha junto com sua nobreza. A mentira a calunia os absurdos e os escândalos não fazem parte de você para nós.

Acredito que hoje estamos fazendo o que nos ensinou todos esses anos o que os verdadeiros fãs de Michael Jackson aprenderam com você. Hoje é o nosso momento de por para fora tudo que temos e adquirimos de você.

Somos nós hoje os responsáveis pela tua memória pela tua vitória pela tua música e pela tua simples mágica. Essa mágica que temos em nossas mãos dada por você.

Você está vivo em nossos mundos em nossos gestos nossos ouvidos nossas lembranças em nossas vidas em nossos fortes e bravos corações. Você ainda é o Michael Jackson de sempre para nós.

E esse ano mais um sem você entre nós minha mensagem vai para os fãs especialmente para eles. Esses incansáveis seres que nem mesmo são capazes de verem a si mesmos diante de você, e que ninguém os pediu para lhe amar tanto.

O teu amor vive ainda rei, e o teu verdadeiro legado somos nós.

Fãs.

It’s All For LOVE!

-Mila

Chat

A fita branca nos dedos de Michael Jackson

Michael estava sempre apontando. Ele tinha aqueles dedos longos que nós chamávamos de “dedos de ET.” Ele os usava enquanto dançava ao espelho (como os dançarinos fazem) num piso portátil que viajava com ele, estudando como ele podia parecer mais alto, mais magro, escultural e elegante.

Metade dos passos de dança de Michael tinham lugar em suas mãos. Porque as luvas não se encaixavam no tema de “Smooth Criminal”, Michael necessitava desenvolver um outro dispositivo para ajudar os olhos do público a navegarem para a linha formada sobre a sua cabeça e em seu corpo com as mãos enquanto dançava.

No início de 1987, quando Michael gravou o curta-metragem “Smooth Criminal”, decidimos colocar fita branca em seus dedos para chamar mais a luz. Michael amava essa ideia, porque enquanto estávamos tornando isso funcional, também adicionou um pouco de diversão.

O Mickey para o seu Rocky, eu coloquei os seus dedos para cima. Assim que comecei a trabalhar no quarto dedo, Michael me parou.

“Isso é demais. Isso é muito comum. “

Então, apenas os dedos indicador, anelar e mindinho seriam cobertos de fita branca. Isso era estranhamente estranho. Michael amava que as pessoas perguntassem: “Por quê?” e “por quê esses 3 dedos?”

Então, enquanto Michael dançava, inconscientemente, ele tocava com o polegar não coberto, e juntava ao dedo médio, e o mundo perguntava: “Por que ele faz isso? É um sinal? O que significa isso?” Michael apreciava a tendência dos seus fãs para questionar, observar e buscar sentido nas coisas que ele fez.

Quando se perguntou sobre a fita no dedo, ele não queria que isso fosse determinado por um motivo tão mundano, como uma melhor utilização da luz ou dando a ilusão de aparência mais alta e mais amplo.

No entanto, o que temos descoberto ao longo dos anos a vestir Michael, é que quando você não endereça uma questão de moda na cabeça, as pessoas vão encontrar uma razão, qualquer razão, para explicar. Então, tornou-se lenda urbana que Michael ruía as unhas, e a fita foi feita para impedi-lo de partilhar o hábito imaginário.

Michael amava a ideia de que ele poderia fazer as pessoas questionarem, observarem, e procurar um significado.

Fonte do texto: heavensgladyoucame

“The King Of Style – Dressing Michael Jackson” por Michael Bush

Chat

A capa de Off The Wall

Hoje o álbum Off The Wall faz 34 anos, esse trabalho peculiar e interessante que mostra toda a maturidade de Michael em sua carreira solo. Devemos lembrar também, que embora Off The Wall não tenha sido tão memorável quanto Thriller, ele é entre vários fãs um dos favoritos. Tendo a voz limpa grave delicada e apaixonada de Michael em suas canções do belo ritmo R&B.

Capa de Off the wall

Desenho da Capa:Mike Salisbury
Fotografia da Capa: Steve Harvey

O álbum foi editado em 10 de agosto de 1979 e sua arte de capa reflete toda a juventude de Michael Jackson, pois então tinha 21 anos. Durante suas apresentações ao vivo nos últimos tempos dos “The Jackson”, Michael era acostumado como líder do grupo a diferenciar-se dos demais com sua vestimenta. Naquela ocasião ao final da década de 70, ele usava muito o terno e o smoking para dançar a música disco, sendo o momento mais culminante da moda das discotecas de Nova York.

O responsável por retratar Michael foi o fotógrafo Steve Harvey. Na imagem Jackson aparece de corpo inteiro, usando um smoking preto. Seu penteado já não era afro, e cada vez mais passou a alisar seu cabelo. Seus polegares dentro dos bolsos da calça e suas pernas entreabertas em sua clássica pose de dança.

Além da fotografia, o responsável por dar um toque todo especial foi o designer e ilustrador, Mike Salisbury. Ele é um designer e um estrategista de marketing, além de servir como diretor de arte, escritor, fotógrafo, publicitário e até mesmo professor da Universidade de Arte Americana. Seu ponto quase inicial foi ter desenhado a capa de “Off The Wall“, mas ainda deixando pegadas na arte “pop” de publicidade global. Algumas de suas obras mais famosas foram a capa da revista “Rolling Stone” e o camelo “Joe” da marca de cigarros “Camel”.

A fotografia da capa de “Off The Wall” teve um efeito aplicado nas meias brancas, deixando-as “fluorescentes”, fazendo com que o sapato mocassim fosse quase imperceptível. Isto quer dizer que os pés de Michael começam a magia da dança. Durante as edições do disco utilizaram diferentes partes da fotografia. No princípio utilizaram o torso de Michael Jackson e em outras mais recentes apenas as pernas.

Embora a arte de capa pareça das mais simples, era justamente o que buscavam. Off The Wall” é uma conjunção da música disco, pop e baladas, e Michael Jackson surgindo de corpo inteiro em pose de dança antecede o conteúdo do álbum, “aqui estou, venham dançar…“.

 Tradução: Bruno Fahnin

Fonte:http://mjmoonwalker.ativoforum.com/

Chat

THE PRISONER OF FAME -CAP.36

36.CAP….Família….

Os seus lábios percorriam os meus em um beijo voraz, Jamy sabia me desarmar em um estalar de dos.

E aquilo não era muito bom, não gostava de ter alguém com este potencial de poder sobre mim e sendo quem eu era, isso era mais que perigoso.

Mas Jamy afastou os meus pensamentos mais lascivos e duvidosos quando desceu seus lábios para o meu colo e invadiu os meus seios enquanto deixou o meu vestido deslizar sobre meus ombros que nem percebi que ele o tirava.

Jamy me pegou em seus braços e me levou para cama sem afastar seus lábios dos meus, me colocou na cama e já foi se despindo me deixando ver aquele corpo que me levava a loucura, e quando sua box caiu ao chão, o meu sorriso mais perverso e malicioso surgiu em meus lábios e eu mordi o lábio inferior sentindo o sangue esquentar na minhas veias.

— Céus, como você é perfeito. Eu sussurrei um pouco alto e Jamy sorriu satisfeito.

— E isso tudo é só para você. Jamy falou vindo até a cama e veio engatinhando por entre as minhas pernas.

— Eu espero que isso seja verdade. Eu falei vendo ele se posicionar em cima de mim e senti seu membro tocar o meu ventre e desceu procurando passagem para dentro de mim.

— Sempre será tudo seu meu amor. Jamy sussurrou beijando os meus lábios e foi descendo os seus beijos em meu corpo.

Eu vibrei quando ele se deliciou em meus seios, desceu na minha barriga e invadiu com seus lábios, língua e beijos estalados a onde ele mais desejava a noite toda.

Eu erguei o meu quadril e deixei ele me levar as estrela mais uma vez, confesso que amava o jeito dele sexy de ser.

Depois quando pude respirar direito, resolvi inverter e dar a ele o prazer que me fez sentir, com meus beijos e mãos mais que vorazes eu me deliciava em seu corpo.

Seu gosto era como adrenalina para mim e me fazia ousar mais do que nunca, os seus gemidos e gestos me levavam a loucura, e quando os meus lábios invadiram seu membro já latejante, eu escutei ele soltar um longo gemido de prazer.

Jamy chamava o meu nome conforme eu investia em seu membro, uma de suas mãos acariciava os meus cabelos me ajudando a manter o ritimo que ele desejava, e a outra estava agarrada nos lençóis para ele poder se controlar.

Os nossos corpos já estavam suados e extasiados, os nosso sentido já pouco se podia dizer que eram lúcidos e quando ele explodiu em meus lábios o meu sorriso surgiu com um lindo sorriso de vitória, eu amava sentir o seu sabor.

Quando Jamy conseguiu se recuperar de seus espasmos, ele me puxou para cima dele e me fez sentar em cima de seu membro e segurou a minha cintura.

— Nunca pensei que alguém com uma face de tímida pudesse fazer isso comigo. Jamy falou me vendo sorrir por fazer ele chegar aos êxtase com perfeição.

— Não sou tão tímida assim, só quando preciso ser diante dos outros. Eu disse me mexendo em cima dele e sentindo o seu membro reagir aos meus estímulos.

— Quem diria que aquela ídolo de milhões, que pula e grita nos palcos em seus show e turnês pelo mundo, é muito perigosa na cama. Jamy falou acariciando o meu corpo e subindo as suas mãos para os meus seios e me deixando sentir o prazer mais uma vez.

— Não acredite em tudo o que lê ao meu respeito. Eu posso enganar direitinho. Eu falei descendo o meu corpo no dele e o beijando com paixão.

— Eu não acredito. Jamy sussurrou perto do meu ouvido sentindo eu me levantar um pouco do seu corpo e deixando o seu membro deslizar para dentro de mim.

Jamy gemeu alto quando sentiu o seu membro deslizar com pressão e pude sentir ele descer as suas mãos para a minha cintura e me ajudar nas investidas em cima dele.

Eu me segurei em seu peito e sorria com as suas formas de agonia, jamy me acariciava como podia e eu notava que as investidas começavam a ficar mais aceleradas, o meu sangue fervia nas veias e a adrenalina começava a ficar mais tensa.

Com investidas profundas e fortes Jamy já estava que era só gemidos e sussurros, e meu nome e palavras desordenadas eram constante em seus lábios.

Eu sentia que o êxtase se aproximava e olhei aquele homem lindo e com expressões de atos sofridos de prazer começar a se agonizar.

— Assim Dora, assim. Jamy gemeu quando apertou a minha cintura e me ajudava a investir pesado e profundo nele.

Jamy ergueu o seu quadril para frente e senti ele gemer alto quando seus jatos me preencheram toda de prazer me levando junto com ele em um êxtase que me deixou sem fôlego.

Depois de algum tempo ali dentada em seu peito tentando recuperar os espasmos e forças, Jamy me retirou de cima dele deixando o seu membro deslizar de dentro de mim.

Ele me colocou do seu lado se virou para mim me abraçou e acariciou os cabelos me dando beijos nas costas até eu adormecer em um sono profundo.

O dia parecia estar ali a muito tempo quando olhei a claridade entrar pelas cortinas esvoaçantes, eu olhei para o lado e Jamy já não estava.

Droga! Maria deveria ter vindo o tirar daqui antes que o dia surgisse. O pegar nu na minha cama já tinha virado hábito entre eles, e um sorriso perverso surgiu em meus lábios.

 E se algum dia eu resolve-se colocar um fim nesta maluquice e assumisse Jamy? Será que Pool surtaria? Por que Maria e Roger pareciam gostar da ideia.

Mas menos está louca ideia de Pool de casamento, isso não.

Eu me espreguicei um pouco mais na cama, fui até o banheiro e tomei um longo banho, já eram quase uma da tarde quando resolvi descer toda feliz.

— Olá Maria! Como está? Eu falei descendo as escadas toda sorridente e notei ela se assustar comigo.

— Eu estou bem senhora. Eu pensei que dormiria o dia todo. Maria falou esboçando um leve sorriso e veio até a mim.

— Desculpe por levantar estas horas, mas dormi tão pesado que não consegui acordar. Onde estão todos? Eu falei vendo a movimentação dos seguranças lá fora e já imaginava que Pool deveria estar aqui ou até Roger também.

Maria me olhou sorridente e notei que foi ela mais uma vez que retirou Jamy antes que o dia surgisse. E afinal, onde ele estava? Com certeza com Alex.

— Eu imagino o por que de seu lindo sono, mas estou feliz que tenha descansado, precisa se cuidar agora e evitar aborrecimentos. Maria falou me olhando estranho.

Eu a observei e percebi que tinha algo errado e temi o que poderia ser. Geralmente quando saio, a mídia me bombardeia no outro dia com suposições e insinuações infundadas.

— Você não me respondeu onde estão todos Maria. Eu falei vendo Alex entrar e me encarar sério, ele estava sozinho.

Maria pareceu hesitar e olhou para Alex contrariada.

— O senhor Marker está na biblioteca com o senhor Smit e o senhor Peterson. Mas que tal se alimentar primeiro? Já acordou tarde e está sem comer nada. Maria falou parecendo mais nervosa agora.

— David está aqui? A coisa não deve ser boa. Eu vou até eles, me leve um lanche. Eu disse virando as costas para ela e sai a passos largos em direção a biblioteca.

O que será que tinha saído agora para David estar aqui? Eu sabia que sairia alguma coisa quando percebi a mídia na entrada do teatro e no estacionamento.

Só podia ser mais algum lixo de mim e do astro pop. Tomara que Michael reaja bem a porcaria que certamente disseram de nós.

Eu caminhei rápido pelos corredores e quando cheguei na porta da biblioteca eu entrei sem bater.

—- Olá para todos, eu espero não estar atrapalhando a reunião. Eu falei fechando a porta atrás de mim e percebi todos se levantarem e me olharem com atenção.

— Olá Dora. David falou parecendo intrigado.

— Já levantou? Pesei que iria até tarde hoje depois da saíida de ontem. Pool falou me olhando com seus olhos investigativos.

Eu olhei os três homens a minha frente e franzi o cenho. O que era agora? Só faltava eu e o astro estarmos tendo um romance avassalador.

O que desta vez, seria uma tremenda mentira.

— Não ligue para eles minha diva. Como estamos hoje? Roger falou me abraçando todo feliz e passou a sua mão em minha barriga sorrindo.

— Eu e o bebê estamos bem. Obrigada Roger. Mas o que foi agora? Podem ir dizendo, eu sei que tem lixo circulando solto. Só a face de vocês diz isso. Eu falei dando a volta na mesa e me sentei na poltrona atrás dela.

— Eu creio que já deve saber não? Saiu ontem com seu amigo e foram vistos. Pool falo me empurrando um maço de jornais e revistas.

— Sim, isso já sabíamos que iria acontecer quando vimos fotógrafos fora do teatro, mas nos mantivemos discretos e não fizemos nada fora do comum. Eu falei olhando para os três e notei que era mais sério do que pensei.

— Minha diva. Se fosse só o que é de costume a coisa ficaria como sempre está, mas eles a viram. Roger falou com as suas duas mãos na boca escondendo uma aflição que não pude identificar qual era.

Eu ergui uma de minhas sobrancelhas e tentei ver em seus olhos do que ele falava.

— Mas o que eles viram de mais? Eu …… Eu não pude dizer mais nada.

As letras estavam estampadas em quase todos os jornais e revistas a minha frente.

“ O mais famoso casal de celebridades foram vistos saindo juntos do teatro Walt Disney conter Hall na noite anterior. Mas o que mais surpreendeu a todos e aos fans, era que a grande diva da musica está grávida.

Será que é do rei do pop? Ou ele está alugando a barriga da diva? Ou simplesmente as informações que sairiam meses atrás tem fundamento.

Quem é o pai do bebe da mais famosa diva da musica?

Eu li aquelas linhas como se não pudesse acreditar no que via, se ali estava assim. Imagine o que os tabloides diziam?

— Deus! Eles viram! Como isso aconteceu? Eu fui cuidadosa. Eu falei deixando os jornais caírem das minhas mãos na mesa.

— Calma querida, isso uma hora ou outra iria sair mesmo, não tem como esconder o bebe. Roger falou vindo em minha direção e me abanando.

—- Sim, mas precisava ser já? O astro me ligou logo que amanheceu! Ele estava furioso. Pool falou como se eu tive-se culpa do que tinha acontecido.

— O que quer dizer com isso? Se ele soube-se que eu estava grávida não tinha saído ao teatro? Eu não queria ir, foi ele que insistiu nesta porcaria! E se Michael vir me encher as paciências, ele que vá para o inferno. Eu gritei me levantando e me segurando na beirada da mesa com força.

Eu estava furiosa, e comecei a sentir uma grande revolta por tudo isso. O que eu era não bastava para me deixarem em paz!

— Mas o problema não é este Dora. O problema é que alem de insinuarem sobre o astro ser o pai do bebe, as alegações voltam ao processo que fomos contra daquele segurança alguns meses antes. Ele com certeza vai aproveitar disso e criar mais tumulto. David falou me fazendo o encarar incrédula.

— Você só pode estar brincando David! Eu falei começando a tremer de raiva por lembrar de como  a mídia me crucificou diante das mentiras.

— Não, ele não está brincando Dora. Isso só vai piorar cada vez mais. O mundo parece ter enlouquecido com está sua gravidez e você nem diz quem é o autor desta sua proeza! Pool falou furioso para mim e eu me virei para ele o encarando.

— O que tem a ver o pai de meu filho? Por que todos tem que saber quem é? Acham que fiz o que? Inseminação artificial? Acha que contratei o esperma de alguém? Ou simplesmente cai na farra e não sei quem é o pai do bebe! Até parece que não convive comigo a anos Pool! Eu gritei em sua direção e fui andando de um lado para o outro dentro da biblioteca.

A minha mente fervia e eu procurava uma solução para tudo aquilo.

— Minha diva se acalme. Isso não faz bem ao bebe. Roger falou tentando me acalmar.

Eu o olhei e pensei em Jamy. E se eu revelasse quem era o pai do meu filho? Será que eles me deixariam em paz? Não! Isso não daria certo por que as fofocas que saíram na mídia sobre orgias com meus seguranças a beira da piscina só dariam margem a mais falatórios e isso poderia virar uma bola de neve avassaladora.

Deus! O que uma simples gravidez causa na vida de alguém que o mundo achava que não era mortal.

— Precisamos de alguma coisa plausível para afastar as insinuações do astro pop. Quem sabe se divulgarmos quem é o pai da criança isso diminua. David falou vendo o meu estado de perturbação.

— É isso Dora, quem é o pai do baby? Pool falou me fazendo os encarar mais uma vez.

Eu percorri a minha mente e o nome quase veio aos lábios, mas daí olhei nos olhos de Roger que estavam aflitos e me lembrei que seria pior agora. Quem sabe mais tarde depois que eles levassem meu nome bastante ao lixo eu pudesse dize quem era o pai do bebe, mas agora, era impossível.

Eles acabariam comigo em um estalar de dedos e levariam Jamy comigo.

— Eu não direi quem é. Eu tenho direito a uma privacidade! Por que tenho que dizer a todo mundo o que faço ou deixo de fazer? Eu faço o meu trabalho, me esforço para ele sair perfeito, dou ao mundo o meu melhor e os encanto. Por que eu não posso nem ter um filho em paz sem que o mundo enlouqueça? Eu sou um ser humano como tantos! Eu não sou uma parte que tudo pode ser exposto! Eu falei furiosa e peguei um vaso e arremessei contra a parede fazendo os cacos voarem por toda parte.

Eu pude perceber os olhos atento de todos em mim e quando percebi a porta se abria e Jamy e Alex entraram rapidamente.

— Algum problema senhora? Alex falou me observando com atenção.

— Não! Eu falei ríspida com ele e olhei os olhos de Jamy que estava parecendo furioso e já imaginei que ele deveria ter lido o lixo que saiu.

— Estamos bem Alex, só o vaso que caiu. Vocês fizeram o que mandei? Pool falou olhando Alex que olhou rapidamente para mim e voltou seus olhos para Pool.

Droga! Mais problemas! Hoje não tinha começado bem o meu dia.

— Sim senhor, a segurança foi reforçada e as ligações foram restritas. Alex falou enquanto eu observava os gestos de Jamy.

O que havia com ele? Só faltava ele me culpar também por ter saído aquele lixo todo nos jornais. Ele deveria começar a se acostumar com isso, ou ele não conseguiria ficar ao meu lado, e o nome do pai do meu filho seria mantido mesmo em segredo longe da mídia.

— O que está acontecendo? Eu disse alto e todos me olharam, mas a minha pergunta foi direcionada a Jamy que percebeu isso.

— Estamos com problemas nos portões com repórteres e paparazzis. Já pedimos reforço a polícia e os telefones serão trocados, os demais funcionários tem novas restrições fora da mansão. Jamy falou me fuzilando com os olhos que eu sentia por detrás de seus óculos escuros.

Quem sabia do nosso segredo já imaginava que teríamos discussões ali, e isso começava me aborrecer.

— Okay Jamy, mantenham assim. Se Dora precisar sair eu quero reforço na segurança dela, agora podem ir. Pool falou fazendo os dois concordarem e saírem.

Eu pude sentir o ar frio e distante nas suas palavras, se ele ousa-se dizer algum cosia sobre o que tinha saído nos jornais eu não responderia por mim. A minha vida já era bem tumultuada para eu agora suportar ciúmes de um homem que tinha que acreditar em mim e saber que quando eu amava, era com fidelidade e paixão.

A discussão se deu por algum tempo mais ali na biblioteca, e David e Pool saíram da biblioteca com um monte de coisas a se fazer e eu fiquei com Roger ali para me acalentar, Maria trousse algo para mim e eu enganei fingindo que comia.

— Agora deve descansar querida, ou sua pele vai ficar enrugada. E não adianta quilos de maquiagem e nem as minhas mãos divinas para esconder estas suas olheiras. Roger falou alisando os meus cabelos quando eu estava deitada em seu colo no sofá e olhando o tempo chuvoso agora.

—Descansar como Roger? Olhe o que dizem de mim! Eu dei tanto a eles e eles ainda me crucificam. Por que a minha privacidade é tão importante para eles? Eu disse contendo uma lágrima que queria cair.

— Por que você é a famosa Dora Reis. Como o seu amigo astro lá. Se fossem apenas pessoas comuns, isso não importaria a ninguém, mas com vocês, é tudo mais intenso. Você está em quase todos os lares do mundo. Muitas pessoas e fans se espelham em você. A sua vida não é sua, e sabe disso. Roger falou com a voz terna e carinhosa.

Eu suspirei em seu colo e me lembrei das palavras da minha mãe um dia.

“ Quando o mundo for seu lar e você estiver dentro de cada um deles. A sua vida não será mais sua e sim de todos.”

As palavras dela ecoavam em minha mente agora e me lembrei de Jamy e de seus olhos estranhos em mim.

— E se eu disse-se quem é o pai do meu filho Roger? Será que Jamy suportaria o que iriam dizer? Eu falei pensando na possibilidade de acabar com tudo aquilo.

Eu percebi Roger parar de fazer carinho em meus cabelos e ficar em silencio, então, eu me levantei e o encarei.

— Sabe minha diva. Você já conhece o seu mundo. O bonitão lá por mais que viva ao seu redor, ele só sabe de uma pequena parte dele. Eu sei que em sua cama e a sós ele deve ser um delírio, e agora sendo pai de seu filho ele ficará mais protetor e coruja do que nunca. Mas será que ele vai aguentar o que vai sair ao respeito dele? Veja o que dizem daquele Deus que é seu amigo? E olhe que ele já é calejado nisso. Ele estava furioso esbravejando no telefone com Pool. Imagine o que um simples guarda costas fará? Roger falou destruindo as minhas esperanças de contar a verdade.

Mas quando eu iria responder a Roger, Pool abre a porta com rispidez.

— Dora, temos problemas. Pool falou me olhando aflito.

— Mais! O que foi agora? O mundo caiu só por que minha diva apareceu com sua sutil barriguinha linda? Isso já está ficando chato! Roger falou furioso agora.

— Quem dera, o mundo a gente dá conta. Dora, o seu pai está aos berros nos portões principais. Pool falou me observando com atenção.

Eu me assustei tanto com o que Pool dizia que me senti imóvel e sem chão. Era tudo que me faltava para acontecer hoje.

— Deus! Aquele chato! Roger falou tapando a sua boca de susto.

— O que ele quer aqui? Não chega os meus problemas? Eu falei furiosa e me levantei com tudo e uma tontura me tomou, e Roger me conteve sem seus braços.

— Diga aquele infeliz que minha diva não está bem. Que ele vá em borá. Roger falou me alisando as costas para o mal estar passar.

— Eu creio que isso não irá fazer ele ir em borá. Pool falou vindo me ajudar e eu recusei.

Eu respirei profundamente e ergui a minha face e os encarei.

— Não, tudo bem. Diga a Alex que o deixe entrar antes que ele chame mais atenção e diga coisas que só irá piorar o que dizem. Eu verei o que ele quer desta vez. Eu disse me soltando deles e dando um passo a frente.

— Tem certeza disso querida? Roger falou afastando uma mecha dos meus cabelos.

— Sim, faça o que mandei Pool. Eu falei os encarando mais determinada agora.

— Okay, mas mandarei Maria lhe trazer algo, está pálida. Pool falou saindo rapidamente.

Quando Pool saiu, a minha vontade era de gritar de raiva. A coisa só piorava e parecia que para onde eu me virava-se tinha um para me agredir.

— Tem certeza que quer fazer isso minha diva? Sebe muito bem que pode dar um basta nisso. O que ele fez com você já é um bom motivo para nunca mais velo. Roger falou me fazendo lembrar do passado.

— Eu sei Roger, mas eu prometi a mamãe que nunca deixaria ele sem ajuda. E mantenho as minhas promessas. Eu disse me recuperando melhor e sai com Roger para receber o meu maior pesadelo.

O encontro como sempre nunca foi agradável, aos berros o meu pai exigia explicações do que tinha saído nos jornais, e para o meu maior desgosto, ele soube ali, que seria mesmo avô.

Mas como todos os curiosos sem ter o que fazer, ele queria saber quem era ao pai do meu filho, e como eu não disse, as coisas que saíram de sua boca me deixaram ao ponto de mandar o expulsar da mansão.

— O que pensa que está fazendo? Você deveria me apoiar, e não dizer uma cosia destas sobre mim! Eu gritava sendo segurada por Roger e Pool.

— Você me envergonha! Virou uma promiscua sem valor! Agora está se envolvendo com aquele esquisito lá! Por acaso ele pagou por este filho? Ou foi você que se deitou com ele só para enriquecer mais? O meu pai gritava a plenos pulmões dentro da minha sala e sendo segurado por Jamy e Alex com força.

— Senhor Reis! Controle-se. Minha diva está esperando um bebe, o seu neto! Roger falou alto para ele se conter.

Eu podia ver nos olhos de todos, as mais variadas indagações, mas foi os olhos de Jamy com sua expressão furiosa e sem entender que me deixou mais sem chão ainda.

— Um neto que está vindo de uma origem duvidosa. E não se dirija a mim seu gay! O meu pai quase cuspiu em Roger as palavras.

— Ele é gay sim e é meu amigo. Roger tem mais amor e consideração pelos outros, muito mais do que você poderia tem um dia em sua vida. Agora saia da minha casa! Eu gritei já perdendo o controle.

— Senhor Reis, é melhor o senhor ir. Pool falou me detento ainda em seus braços.

— É claro que irei. Afinal isso ainda pode me render milhares de dólares, já que meu neto pode  ser filho daquele lá. O meu pai falou com um sorriso sarcástico em seus lábios.

— Perde o seu tempo esperando por isso! O pai do meu filho não é Michael! Agora suma da minha frente e nunca mais volte aqui! Eu gritei já não me contendo mais.

— Vamos senhor. Alex falou o puxando para sair com Jamy.

— Tirem suas mãos de mim seus trastes. Eu sou o pai dela, me devem respeito. O meu pai gritou com Jamy e Alex que ainda o mantinha preso em suas mãos.

Eu queria matar ele com as minhas próprias mãos, de todos que um dia me causaram algum mal, ele tinha destruído a visão que eu tinha de uma família.

— É melhor ir senhor. Jamy falou com sua voz austera e meu pai o encarou e voltou seus olhos para mim.

— Então você não teve capacidade de engravidar de alguém de porte? Eu já esperava isso de você. Qual foi o vagabundo que fez isso? Ele pelo menos sabe quem é você? Sabe se ele tem algo a oferecer ao meu neto? Ou irá tirar de você até o ultimo vintém? A sua mãe estaria envergonhada de seus atos Dora. Meu pai falou com seu tom de crueldade enquanto Pool mandou o levar.

Eu encarei os olhos do meu pai tão parecidos com os meus, e contive algo que me era mais que dolorido.

— A mamãe nos deixou por que seu desgosto por você ser quem era foi tão grande que seu coração não suportou. E já imaginou se ela soube-se o que você teve capacidade de fazer com sua única filha? Eu falei aquilo sentindo a minha garganta se rasgar de dor.

Aquilo estava entalado a anos, e me sufocando.

— Mas valeu a pena aquilo, não valeu? Veja a onde está e quem é. Você é a grande mega star Dora Reis, e minha filha. O meu pai falou com um sorriso maligno em seus lábios e eu me virei nos braços de Pool e Roger que me abrigaram me deixando chorar em seus braços quando Jamy e Alex o levaram porta fora.

Eu ainda podia ouvir os palavrões e xingamentos dele para Alex e Jamy enquanto o meu pai era colocando para fora da minha casa, Jack o levaria dali para sua casa para ele não criar mais problemas com a mídia que estava aos montes para fora dos portos, e nós sabíamos que sairia mais lixo no outro dia por causa de seu comportamento.

Depois de Pool e Roger me acalentarem, Maria me acompanhou até meu quarto e me colocou na cama e tentou me fazer dormir, mas eu precisava falar com Jamy.

— Diga a Jamy que preciso o ver agora. Eu disse não querendo olhar Maria nos olhos.

— Não acha melhor falar com ele outro dia querida? Está tudo muito tenso hoje e você precisa descansar, pense em seu filho. Maria falou tentando me convencer que deveria deixar de lado a impressão que eu tinha notado.

— Eu deveria Maria, mas seus olhos me pareceram acusadores. Se ele também não souber compreender o meu mundo agora, é melhor a nossa história parar por aqui. Eu falei sentando em minha poltrona e vendo a noite cair lá fora.

— Eu sei criança. Mas pense em seu filho, já teve tantos aborrecimentos por hoje. Ela falou me olhando e eu mirei seus olhos preocupados.

As minhas suspeitas pareciam verídicas, Maria tinha um certo carinho e respeito por Jamy, de alguma forma ele a cativou, ou ela não deixaria ele chegar onde chegou tão perto de mim. Mas ela receava algo, e eu queria terminar logo com minhas suspeitas.

— O que você sabe, e não me enrole, eu detesto rodeios. Eu disse a encarando e notei ela abaixar seus olhos dos meus.

Maria se sentou na minha cama e cruzou seus dedos uns nos outros, ela parecia os encarar e notei que ela escolhia as palavras.

— Logo pela manhã que eu o chamei estava tudo bem. Até ele sorria por eu o ter pego daquela forma outra vez. Mas quando Alex trousse os jornais, as suas expressões mudaram. E quando o senhor Marker chegou com o senhor Smit e pedirão explicações a eles do que tinha ocorrido em sua saída com o astro, a coisa ficou feia. Era visível sua irritação e Alex o levou para reforçar a segurança antes que ele revelasse o segredo de você. Desde então, ele mal fala. Mas eu sei que ele vai compreender. Maria falou erguendo os seus olhos tristes e pareceu acreditar em suas ultimas palavras.

Eu olhei bem fundo em seus olhos e notei que ele não compreenderia. Eu não queria discutir, se ele viesse com os mesmos argumentos de antes, tudo estria acabado. Jamy não merecia aquilo, mas eu também não.

— O chame para mim. Eu disse ainda no mesmo lugar e a olhando fixo.

— Mas o senhor Marker ainda está na casa! Ela falou preocupada.

— Eu ainda sou Dora Reis, e pelo que eu saiba, a casa ainda é minha. Agora vá, e diga que o espero aqui. Eu falei desviando os meus olhos dos seus e voltei olhar o entardecer.

Maria suspirou pesado, se levantou devagar ajeitando as suas roupas.

— Okay senhora. Eu o mandarei subir. Maria falou indo em direção a porta e saiu, mas antes de fechar a porta, eu pude sentir seus olhos em mim.

— Vá. Eu disse escutando ela fechar a porta.

Eu fiquei ali sentada com os meus pensamentos voltados a um passado não muito distante, em que um dia eu sonhei encantar o mundo com o meu talento.

Por que o mundo não apenas apreciava a minha musica e minha arte? Eu sempre fazia esta mesma pergunta milhares de vezes.

Eu só queria dar ao mundo o meu melhor, e ter o direito de ser feliz. Mas me parecia que muitos, não queriam isso, e ferir e denegrir os outros era o seu prazer.

Enquanto eu estava perdida nas minhas lembranças, eu escuto batidas fortes na porta, ele estava zangado. Eu já o conhecia e sabia que a conversa não seria agradável.

— Entre. Eu falei me levantando e ficando de pé quando notei ele entrar e não fechar a porta.

— Me chamou senhorita Reis. Jamy falou com seus irritantes óculos escuros.

— Eu disse entre e agora feche a porta. Eu falei indo em direção a outra poltrona perto da lareira apagada e me sentei.

Eu observei Jamy fazer aquilo em silencio, e sua postura era rígida. Ele estava uma pilha.

— Eu creio que não é apropriado isso senhorita Reis. O senhor Marker está ainda na mansão, e os outros funcionários podem dizer algo a mais, já que este andar é restrito para quase todos. Jamy falou como um verdadeiro segurança e aquilo começava a me irritar.

— Eu não me importo com os outros funcionários, e Pool não manda em minha privacidade. Agora pare com este comportamento antes que eu me aborreça ainda mais. Eu falei o encarando e Jamy me olhou fixo.

Eu notava que ele controlava-se para não explodir comigo.

— Mas mesmo assim não acho apropriado. Ou a senhorita terá mais falatório, e o que dizem é bastante aterrador, até eu… Jamy não teve tempo de terminar o que dizia.

Eu me levantei rápido e fui até ele, cheguei a milímetros da sua face e arranquei seus óculos escuros e os joguei em algum lugar.

— Até você o que? Acha mesmo que gosto do que estão falando? Acha mesmo que se eu pude-se evitar tudo isso e as outras coisas que saíram ao meu respeito eu não evitaria? Eu gritei bem perto de sua face.

Jamy me encarou com fúria agora e pareceu se controlar para não me tocar.

— Se não tive-se saído com aquele seu amigo, isso não estaria neste patamar. Você leu os jornais? Está em toda parte Dora! Dizem horrores da sua gravidez, falam horrores do um filho! Como você acha que me sinto sem poder dizer que é meu? Se eu fizer isso a coisa ainda vai piorar mais? Jamy gritou comigo pela segunda vez só este mês e aquilo fez meu sangue ferver ainda mais.

— Se eu sai-se com outro que fosse, isso seria assim mesmo. Em que mundo você vive? Sabe quem eu sou? Sabe o que causo na mídia quando eu tento fazer uma simples compra? Se eu der um espiro na esquina ele já dizem que estou morrendo por ser viciada ou promiscua! Você sabe o que os cerca. O que mais se vende, são mentiras. Eu disse o encarando furiosa.

Jamy parecia respirar fundo e me encarou furioso.

— Eu sei como gira o seu mundo, por detrás das cortinas da sua fama, a sua vida é outra, mas eles não sabem disso e você se torna um prisioneiro da sua própria fama. Mas eu não concordo com isso Dora, você deveria ter dito a todos quem é o pai de seu filho, e não aquele que eles estão insinuando. Eu me sinto ridículo perto dos olhos dos outros funcionários. Acha mesmo que eles não notam o que acontece aqui dentro? Até o senhor Marker me olha desconfiado! Jamy falou me fazendo o encarar.

Eu senti o meu coração apertar. Eu tinha certeza que Pool sabia da verdade.

— Pool não é tolo. Mas sei que David dará um jeito de esclarecer isso. O advogado de Michael também é bom, em pouco tempo isso será noticia morta. Eu falei saindo de sua frente e fui até a janela e respirei fundo.

Um mal estar começava a me invadir e senti uma leve tontura, mas disfarcei.

— Mas eu não sei se vou concordar com mais alguma tolice que sairá sobre isso. E creio que não quero meu filho envolvido neste seu mundo. Jamy falou com sua voz rouca e eu me virei para o encarar.

— O que você quer dizer com isso? Eu o fulminei com meus olhos.

Deus! Que ele não estive-se insinuando o que eu imaginava.

— Que se sair mais alguma coisas dizendo que o meu filho é algo comprável, adquirido ou de algum outro amigo seu. Eu me pronunciarei, eu não vou deixar o meu filho exposto a isso tudo com você. Jamy falou com sua voz determinada.

Eu tive que me segurar na beirada da janela para não cair, eu senti o meu coração saltar do meu peito e uma fúria incontrolável tomou conta do meu ser e dos meus instintos.

Eu nunca tinha ficado tão enfurecida em minha vida, eu apertei meus punhos e me controlei para não arremessar nele o abajur de mesa.

— Escute aqui senhor Mac Lany. Se você pensa que um dia irá tirar o um filho de mim, está completamente enganado. Eu aniquilo você nos tribunais se for preciso. Pensa que me conhece? Pois tente fazer algo para tirar ele de mim, daí você vai conhecer a verdadeira Dora Reis. Eu mal consegui dizer diante da minha fúria.

— Pois creio que também não me conhece senhorita Reis. Eu protejo quem mais ano e você não sabe se afastar de sua fama nem para gerar o meu filho.  Agora compreendo o seu pai, você ama a sua fama e seu status de super star. Jamy falou não sabendo medir suas palavras e eu estalei meus olhos sem controle agora.

— Você não sabe nada sobre mim! Você não deveria dizer coisas que nunca soube! Você é como todos os outros! Eu confiei em você! Eu quero que suma da minha vida! Eu quero que me deixe em paz! Você está despedido! Poolllllllllll. Alexxxxxxxxxxx, Mariaaaaaaaaaa. Eu quero ele longe de mim! Tirem este guarda costas da minha casa! Eu gritava a plenos pulmões e comecei a me descontrolar.

O que eu via pela frente eu arremessava em Jamy, quadros, perfumes, abajures e tudo o que tinha em cima das coisas e que eu podia arremessar, ia de encontro a ele.

Jamy se defendia como podia e notei ele se afastar com medo do que eu pude-se fazer.

— Pare com isso Dora! Está descontrolada! Jamy falou desviando do vaso que ia em sua direção e espatifou contra a a parede.

— Saia da minha frente seu canalha! Está despedido! E se quiser brigar por algo que acha que te pertence! Vai ter que me enfrentar nos tribunais seu guarda costas infeliz! Eu gritava ainda arremessando tudo que conseguia encontrar.

Mas naquilo Pool, Alex e Maria entrar num rompante e se desviando do que eu atirava em Jamy.

— Deus! O que você fez? Maria falou sem poder acreditar no que via eu fazer.

— Este infeliz, o tirem daqui! Eu não quero ver ele nunca mais em minha frente! O demita Pool! Eu gritei arremessando os travesseiros agora e rasgando alguns na queda enquanto eu tentava acertar Jamy e ele desviava deles.

— O que está acontecendo aqui? Pare com isso Dora! Está destruindo o quarto! Pool falou dando um passo para a frente em minha direção e eu o encarei bufando.

— Ele não sabe nada de minha vida Pool, ele me julga como todos os outros e teve a coragem de me ameaçar. Se não o tirar da minha frente e demiti-lo você irá com ele. Eu esbravejei com Pool que se assustou com o que eu dizia.

—- Você fez o que? O que pensa que está fazendo meu rapaz? Pool falou se virando para Jamy que o encarou.

— Só disse o que penso e o que sei. Ele falou encarando Pool que o fulminou com os olhos.

— Pois o que você pensa saber, as vezes é bem diferente da realidade, você deveria saber disso. Mas saia, eu vou falar com ela. Pool falou com seus olhos fixos em Jamy.

— Eu não terminei o meu assunto com a senhorita Reis. Jamy falou desafiando Pool.

— Eu quero ele longe de mim. Agora Pool! Eu gritei arremessando em Jamy a minha caixa de joias e notei Alex se abaixar por reflexo junto com Jamy.

— Senhora! Tente se acalmar! Vai fazer mal ao bebe! Maria falou vindo em minha direção e eu a encarei e ela parou me observando.

Eu mal conseguia me manter em pé, eu mal conseguia os ver na minha frente. Eu só queria gritar por causa de suas palavras. E pensar que eu o amei.

—- Ele disse que compreendia por que Stivem fazia aquilo comigo. Ele não sabe quem é meu pai. Eu falei deixando o pedestal que tinha em minhas mãos cair ao chão, e me ajoelhei não aguentando mais o meu próprio peso e comecei a chorar.

— Senhora! O tirem daqui! Maria gritou alto vindo rápido em minha direção.

— Dora! O que você disse a ela? Saia e me espere lá embaixo. O tire daqui Alex agora, e chame o medico dela. Pool falou me vendo quase desmaiar nos braços de Maria.

— Senhor Marker me deixe ajudar, ela precisa de ajuda. Eu não tinha intenção de dizer tudo isso. Eu só estava furioso com as noticias, me perdoem, Dora! Jamy falou desesperado diante do meu estado agora e tentou vir até mim, mas Pool e Alex não o deixaram.

— Mas me parece que não pensou nisso antes. Não me faça pedir para a segurança o tirar daqui aos ponta pés, agora saia! E Alex! O doutor! Pool gritou mais que austero e percebi Jamy me olhar fixo e sair sendo arrastado por Alex.

Eu deitei no colo de Maria que acariciava as minhas costas e cabelos, eu chorava compulsivamente e queria de alguma forma nunca ter ouvido dos lábios dele tais insinuações.

Se ele me julgava daquela forma. O que os outros não falavam de mim?

E uma dor assolou o meu peito, eu ficaria sozinha para sempre e teria no meu filho o exemplo vivo que não deveria amar e nem confiar em ninguém.

— Pool, eu o quero fora da minha casa. Pague tudo o que é devido a ele e o mande embora. Se for preciso contrate outro guarda costas para mim ou mantenha Alex no lugar de Jamy. Mas eu não quero ele mais aqui. Eu disse vendo o doutor adentrar no meu quarto e veio logo em minha direção quando recobrou do susto ao ver o meu quarto quase destruído.

— Eu verei isso, agora descanse. Pool falou vendo o doutor aplicar algo em mim e foi a porta chamar Wiiliam para me erguer na cama.

O meu mundo agora era o mesmo que eu conhecia a muito tempo, mas os ecos da insinuações e palavras de Jamy ecoavam em minha mente, e senti nos braços e carinhos de Maria, que eu teria que seguir sozinha como sempre fui.

continue…. Kisses in your hearts….