32. CAP… “Breaking News.”

Depois de um café pela manhã com a minha pequena família maluca. E sem dizer uma só palavra sobre a ligação de Martin a Michael.

Eu fui com Michael disfarçado de velinho até a consulta fazendo eu rir dele todo o momento que alguém nos via.

Michael era um velinho muito simpático e brincalhão, e adorava mexer com as crianças, fazendo Peter e Ramires ficar de olho nele todo instante.

Michael disfarçado era abusado. E temíamos aquilo.

— Se você não parar com isso, eu mesmo digo a todos que você resurgiu dos mortos. Eu sussurrei em seu ouvido quando ele brincava de mímica com uma garotinha no elevador do prédio.

Eu notei Peter, Ramires e Booby esboçar um sorriso pela repreensão ao grande astro pop.

— Não seja estraga prazer Med. Eu estava ganhando dela. Michael sussurrou para mim reclamando, mas ainda mexendo com a garotinha.

— Sei, pare de ser convencido. Ela estava lhe derrotando feio. E olhe que ela só deve ter seis anos. Eu disse vendo o andar que deveríamos descer chegar.

Michael notou o elevado parar e abrir a porta. Mas antes da porta se fechar atrás dele quando descemos, ele ainda acenou para a criança que sorriu por sua mímica.

— Já imaginou se ela sabe quem está por detrás deste disfarce de um velinho simpático? Eu disse caminhando com ele até a porta da clinica.

— Com certeza pedirá um autógrafo. Ela me parece ter bom gosto. Michael falou mostrando o seu belo sorriso para mim.

Eu revirei os olhos e fingi indignação, mas eu amava o homem a minha frente. Ele sabia que encantava. Que sem vergonha.

— Oh meu Deus! Salvai-me deste convencido. Até pensa que é Michael Jackson. Eu disse vendo os nossos seguranças não conseguirem esconder o riso.

— E sou! E não se esqueça de gostoso. Ou você não estaria vindo em um obstetra de volta. Michael falou me tomando a cintura e sussurrou em meu ouvido dando um beijo em meu pescoço discretamente.

Eu revirei os olhos de volta e contive o meu sorriso,  e entramos para a primeira das diversas consulta em um antigo obstetra.

Já que Michael cismou que queria que fosse o mesmo que cuidou de mim quando esperava Victory.

Ele era bem mais velho que eu e parecia meio gay. Michael não confiava em médicos mais novos e com olhares sedutores como ele dizia.

Depois do doutor nos reconhecer por causa da gravidez de Victory, a consulta transcorreu normalmente. O doutor já estava acostumado com as infinitas perguntas de Michael com relação a mim e ao seu novo filho e ali perdemos um bom tempo.

Saímos do prédio e fomos discretamente até o estacionamento. Mas resolvemos parar em algumas lojas para comprar algumas coisas para o seu mais novo delírio.

Michael adorava compras, e em lojas de departamentos de brinquedos. Ali era o seu paraíso. Ele não mudava nunca. Por mais que já tinha mais de cinquenta anos, ele parecia um garotinho diante de brinquedos e bichos de pelúcia.

— Veja meu amor, o que acha deste aqui? Será que ele vai gostar? Michael falou com um enorme leão em suas mãos.

Eu me virei para ele com uma almofada colorida que via nas mãos, e notei que quase era do tamanho dele e erguei uma de minhas sobrancelhas.

— Por acaso vai esconder seu filho atrás da juba dele? Depois não reclame que o perdeu no quarto. Não acha meio exagerado? Eu disse escondendo um sorriso por detrás dos meus óculos.

— Você falou a mesma coisa quando comprei o urso de Matt. E ele adorou o brinquedo. Michael falou com um leve biquinho para mim.

Eu coloquei a almofada no lugar e fui até ele.

— Matt odiava aquele imenso urso. Todas as noites eu tinha que tirar ele do quarto para o coitado dormir tranquilo. Ele só gosta do Ted, sabe disso. Agora pare com este bico. Por que senão eu o levarei para dentro daquela tenda ali, e vou mostrar o quando isso me excita. Eu disse falando para ele bem perto de seus lábios e depois sussurrei em seu ouvido as ultimas palavras.

Michael deu um leve gemido contido e me afastou dele me olhando com seus olhos em brasa.

— Não me provoque Medalyne. Sabe que sou bem capaz de fazer isso mesmo. Michael falou me envolvendo em seus baços e me apertando chegando bem perto do meu corpo me mostrando que já estava mais que excitado.

— Se comporte Michael. Para um velinho está mais que assanhado. Eu disse baixinho, mas mostrei as minhas más intenções na voz sexy.

— Eu estou comportado, ninguém está notando nada. E para sua informação, eu sou um velinho só nos disfarce. Quero ver a sua face quando sairmos assim na rua e sua barriga começar a aparecer. Vai ver o baita sorriso estampado em meus lábios para muitos que nos olhar abismado. Michael falou maliciosamente comigo ainda em seus braços.

E notei algumas pessoas nos olhar. Para nós que sabíamos quem éramos, sabíamos que Michael não tinha aquela idade e nem aparência.

Mas para todos ali a nos olhar, ele era um velinho assanhado com uma jovem senhora nos braços.

Mas naquilo a nossa atenção foi desviada para uma confusão que começava a ser feita na porta da loja. Michael me soltou de seus braços e por instinto fixou a sua atenção em direção ao tumulto que parecia só aumentar.

Naquilo eu notei que eram câmeras e pessoas com microfones que vinham em nossa direção. O meu coração disparou no peito e notei os olhos aflitos de Michael.

Deus! Eles o descobriram. Era hoje que o mundo virava de cabeça para baixo.

Mas notei logo em seguida que a atenção de tudo aquilo era para mim e tentei puxar Michael para ficar atrás de mim e escondê-lo, e percebi os nossos seguranças tentar passar por entre o mar de repórter que invadia a loja.

— Senhora Medlayne Jensem! A senhora é mesmo a mãe do filho de Michael Jackson que chamam de Blanket? É você a mãe de aluguel? Ou foi um caso secreto com o astro pop? O que os Jackson dizem de sua revelação? Um rapaz falou enfiando o microfone em minha face.

Eu dei um passo para trás e senti as mãos de Michael em minha cintura. Ele iria ficar a minha frente e a coisa sairia do controle.

— Não tenho nada a declara. Eu darei uma coletiva a imprensa daqui a alguns dias. Por favor senhor, me deixe passar. Eu disse cobrindo a minha face e procurando os meus guardas costas.

— Mas a senhora entrou com um pedido de guarda no tribunal sobre as crianças. E a alegação foi que a senhora é a mãe biológica de Michael Jackson II conhecido como Blanket. A senhora confirma isso? A senhora teve um caso com o astro? Ou foi inseminação como os outros dois? Michael Jackson era mesmo gay? Um outro repórter falou me fazendo parar e notei Michael ficar do meu lado furioso.

— Gay! Por acaso lhe incomoda que ele era apenas um homem tentando ser feliz? Michael falou com uma voz que temi ser reconhecida.

Mas naquilo eu notei que Peter, Booby e Ramires conseguiram passar por eles nos isolando das câmeras e fleches que estalavam a nossa frente.

 Eu percebi o gerente da loja nos tirar dali e levar para a porta dos fundos ande Jacks nos esperava com o carro já ligado.

A saída foi cinematográfica. Era como a saída de um show de Michael e ele saísse a carro aberto. Não conseguimos despistar alguns paparazzis e fomos tendo problemas até em casa e com Michael mais que furioso no banco do carro com a ousadia de quem nos perseguia.

continue… Kisses in your hearts….

Advertisements