7.CAP.

Como em todas as noites durante séculos me levantei entediada e com sede.

Tomei um banho me troquei e desci. Eu tinha algo a fazer e tinha certeza que Dragos havia feito a sua lição de casa.

O astro me intrigava e deixava perguntas enigmáticas em minha mente. Então eu pesquisaria. E ainda tinha aquele assunto do criador do ser que eu tinha eliminado no beco.

Eu não havia me esquecido dele.

— Boa noite senhora. Dormiu bem? Dragos falou afastando a cadeira para eu me sentar a frente da mesa.

— Sim Dragos. Algo de novo? Eu disse me ajeitando a minha frente e vendo ele colocar o líquido viscoso e vermelho em uma taça.

Eu podia sentir o cheio do sangue que escorria vagarosamente até encher a taça.

— Não senhora. Só o senhor Claus ligou dizendo que a movimentação do dinheiro americano já foi feito em sua conta.

— Há! Isso é muito bom. Não queremos sair por ai sem dinheiro não! Principalmente em um país e cidade em que ele impera. Nunca vi um lugar tão consumista. Eu disse dando um belo gole no líquido em minha taça.

—Sim senhora. O que me pediu sobre o cantor esta na biblioteca em sua mesa. Ele tem um currículo vasto e intrigante. Ele disse me observando do alto esperando eu beber para poder encher de volta.

A sede quando acordávamos era imensa.

— Sim. Pelo que sei por alto ele é um grande astro no que faz. Cantor e dançarino fez sua arte chegar a um patamar de o chamarem de rei do pop. Mas vasto de mistérios a sua volta. Excêntrico cheio de manias e autoritário. Eu disse me lembrando de seus modos no hospital.

— Mas muitas celebridades são assim senhora. Eles criam um mundo a parte em sua volta. O esquisito chama atenção. Ele falou ainda me observando.

— Eu sei disso. Mas ele é mais diferente ainda. Tem algo nele que me intriga. E quero saber o que é. Eu disse fazendo um gesto para ele sair.

Eu o observei sair discretamente pela porta e fiquei olhando através da taça em minha mão. E podia jurar que por mais que tivesse tomado banho seu perfume ainda estava impregnado em minha pele.

Seus olhos negros e penetrantes era algo irresistível. O sorriso que esboçava mesmo estando zangado e intrigado era interessante. Ele escondia algo como todo mundo. Isso era visível.

Mas o que ele tanto ocultava? Seus segredos eram convidativos a serem descobertos. E eu adorava desafios. Não sentia um destes, a gerações.

Se ele fosse igual a mim, diria que seria perfeito.

Terminei de dar o ultimo gole em minha taça e sai dali em direção a biblioteca.

Como Dragos havia me dito, a sua ficha era extensa, eu perderia horas ali, mas o que eu mais tinha era tempo neste mundo.

Depois de algumas horas folhando a pesquisa de Dragos e vendo vídeos sobre o artista. Resolvi entrar em campo. Nada como ver o que não se era visto. Era ali que os segredos reinavam.

Sabia de seus hábitos e suas manias, seus compromissos e sua honra. Era um homem humanitário e bem ocupado diante dos olhos do mundo. Tinha sua fé em crenças em um único Deus.

Era louvável ele ainda acreditar nele depois de tudo que lhe aconteceu. Mas eu desejava saber o que o mundo não sabia.

Os seres sempre tinham seus segredos, muitos deles comprometedores e profundos, jamais revelamos totalmente o que somos. É como uma certa alto defesa. Jamais revelar tudo.

O mistério seduz e intriga, isso eu sabia muito bem como era. Eu mesma era um mistério indecifrável.

— Vai sair senhora? O dia se aproxima. Dragos falou me observando colocar uma capa negra.

— Não irei longe. Só preciso ver algo. Eu disse já saindo porta fora.

— Tenha cuidado. A curiosidade pode ser mortal. Ele disse me observando entre a porta do holl.

— Sei disso Dragos. Já morria a tempos. Eu falei esboçando um leve sorriso e entrando no meu carro.

Não iria mesmo longe. O astro tinha uma recepção em um dos mais luxuosos cassinos de La Vegas. Me parecia que iria ver um show de um amigo seu. E com certeza ainda estaria lá a estas horas.

Eu notei que tínhamos algo em comum. Hábitos noturnos. E isso me ajudaria muito.

O carro que eu tinha era um potente BMW todo negro de um vidro muito especial, ele não deixava a luz ultravioleta do sol entrar. E a velocidade não era nenhum problema para mim. Num instante cheguei a mais famosa cidade dos jogos legais.

Eu até me lembrei dos tempos de tédio. Era ali que a maioria da minha fortuna foi gerada. Quando fui criada era como ter nascido de volta.

Não me recordava quem era e nem sabia se tinha alguma família ou parentes. Audrey só me dizia que eu era única e especial. Por isso ele me fez. E me dava tudo que eu desejava.

Os melhores vestidos que o dinheiro da época podia comprar. As melhores casas e a melhor forma de se obter o nosso precioso alimento sem levantar suspeitas.

Sim, Audrey tinha sua fortuna e seus meios, mas jamais perguntei de onde vinha seu dinheiro.

Estacionei na frente do hotel cassino e segui em frente. Ser uma bela mulher nesta hora ajudava muito e com facilidade em hipnotizar era melhor ainda.

Entrei e já me informei sobre o show. Ele já havia terminado, mas o salão estava aberto só para alguns convidados vips.

Com educação e uns olhos que eram irresistíveis a minha vontade foi feita e fui atrás da minha mais nova distração. O astro pop.

Circulei por aquelas pessoas que jamais sonhariam em ter no meio deles o mais terrível dos caçadores. Mas creio que perto de alguns ali dentro eu não passava de uma reles aprendiz de sanguinário.

Mas foi em um olhar perdido nos fundos do salão que notei o meu alvo.

Lá estava ele rodeado de várias pessoas e esboçando um sorriso encantador diante de todos. Ele parecia estar entediado. Quem não via que ele se esforçava para estar ali.

Seu sorriso era falso, mas disfarçava muito bem diante das pessoas que chamavam sua atenção a algo. Mas seus olhos voltado para o nada em seguida revelavam sentimentos escondidos e intrigantes.

Mas quando iria dar um paço para chegar mais perto notei ser tocada nas minhas costas com sutileza e notei alguém sussurrar algo em meu ouvido.

—- Fascinante. A voz que vinha de trás de mim no pé do meu ouvido me fez virar de imediato e encará-lo.

Eu o observei intrigada e levantei uma de minha sobrancelhas em sua direção. O que ele fazia ali?

continue…… Kisses in your hearts…

Advertisements