HUMAN NATURE……………..

 

(Escrita por John Bettis e Steve Porcaro; arranjada por David Paich,

Steve Lukather e Steve Porcaro. Produzida por Quincy Jones.

Sintetizadores programados por Steve Porcaro. Vocais guias e

backgrounds por Michael Jackson. Sintetizador: David Paich.

Bateria: Jef Porcaro. Guitarra: Steve Lukather. Percussão:

Paulinho da Costa).

 

 

Michael Jackson uma vez descreveu “Human Nature” como uma “música

com asas”. A metáfora foi adequada. Uma linda balada de sintetizador,

“Human Nature” desliza sem esforço por sequencias cintilantes e cenário

brilhante. Uma música sobre desejo, juventude e anseio, ela evoca uma cidade

vibrante, onde o narrador caminha no crepúsculo entre a realidade e o sonho.

 

 

O crítico musical David Stubbs descreveu a faixa como “uma coisa de beleza

sobrenatural, com os arrepios vocálicos de Jackson despertando um frisson

elétrico pela pele da música e o brilho das produções dos anos oitenta

provocando um tipo de estático, autoperpetuado, hall de espelhos”.

 

 

Na revisão de 1982, o New York Times chamou “Human Nature” de a música

mais marcante de Thriller: “Ela é uma balada evocativa, pensativa, de Steve

Porcaro e John Bettis, como um refrão irresistível, e ela poderia ser um

enorme hit.” Mais de vinte anos depois, Eric Henderson, da Slanter,

concordou, chamando a faixa de “provavelmente a melhor composição do

álbum e, certamente, uma das únicas baladas A/C desta era, que vale a pena

lembrar”.

 

 

Uma demo anterior da música foi enviada, com um punhado de

outras, para Quincy Jones, pelo grupo musical Toto. Jones deixou a fita

circulando até que fosse encontrada uma versão instrumental de “Human

Nature” (então, sem título), a qual ele adorou imediatamente e trouxe para

Jackson. Steve Porcaro tinha composto a demo original, mas ainda faltava

um título e a letra. Jones pediu a John Betti para completar a tarefa, o que ele

fez magnificamente (Steve Lukather e David Paich, ambos contribuíram para

o arranjo). O produto final foi uma balada bela, evocativa, que combinou

com a complexa mistura de inocência e sensualidade de Jackon.

 

 

A brilhante interpretação vocálica de Jackson, porém, é o que,

completamente, realizou a música. “O jeito como a voz dele desaba as notas

no refrão é uma aula magistral de apresentação vocálica”, observou J.

Edward Keyes “e a suplicante repetição dele de ‘Why? Why? ’, é o som da

silenciosa desilusão”. Na verdade, enquanto a música pulsa com a dolorosa

intoxicação de possibilidade, “uma rica emenda melancólica” também surge

nela. A letra sútil e sugestiva transmite uma ânsia estilo Gatsby.

 

 

“Olhando para fora/ Através da noite”, Jackson canta, “A cidade pisca um olho

insone/Escute a voz dela/ Balança minha janela/ Doce visão sedutora”. Todo

o imaginário evoca a magia da noite na cidade. O narrador é tanto observado

(através de “olhos elétricos”), quanto observador (“Ela gosta do jeito como

eu a fito”), enquanto ele faz o caminho pelas ruas de neon.

 

 

Alguém pode imaginar que Jackson desenha a partir da vida pessoal

dele, vivendo nos limites protegidos da casa dos pais dele, experimentando a

vida noturna de New York, quando estava trabalhando em The Wiz em 1978. Os vocais dele transmitem tanto surpresa quanto uma curiosa indiferença,

enquanto ele sonha com a intimidade e conexão que o liberta. “Se esta cidade

é apenas uma maçã”, ele diz a si mesmo, “Então, deixe-me dar uma

mordida.” Na estrofe final, Jackson demonstra uma das mais sublimes cepas

da carreira dele, quando ele solta um grito sem palavras, em falsete.

 

 

A lenda do jazz, Miles Davis, reproduziu a música para o álbum dele

You’re Under Arrest, de 1985. Ela tem sido sampleada e reproduzida por

inúmeros outros artistas, incluindo Boyz II Men, Ne-Yo, John Mayer e SWV.

 

 

“Human Nature” foi a última música incluída em Thriller, substituindo

“Carousel”. Ela alcançou o primeiro lugar nos charts da Billboard Hot 100

em 1983.

Source……themaninthemusic.blogspot.com.br

Advertisements