GET ON THE FLOOR…………..

 

(Escrita e composta por Michael Jackson e Louis Johnson;

produzida por Quincy Jones. Intrumentos de sopro arranjados

por Louis Johnson e Quincy Jones. Arranjos de cordas por

Bem Wright. Arranjos vocálicos por Michael Jackson. Vocais

guia e backgrounds por Michael Jackson. Baixo: Louis

Johnson. Bateria: John Robinson; Clavinete: Greg

Phillinganes. Percussão: Pulinho da Costa. Guitarra: Melvin

“Wah Wah Watson” Ragin. Instrumentos de sopro: The

Seawind Horns. Maestro: Gerlad Vinci)

Talvez como uma resposta parcial a “Workin’ Day and Nigth”,

Jackson ofereceu “Get On The Floor”, uma música que celebra a

alegre liberdade da música e da dança.

 

Uma versão mais antiga foi, originalmente, escrita por Louis

Johnson, dos Brothres Johnson, para o álbum disco dele, Ligh Up

The Night. Johnson, porém, por fim, decidiu refazer a música com Michael Jackson. O resultado foi uma extravagante excitação à dança.

“Jackson se solta mais em um rif disco de contrabaixo”, escreveu o

crítico musical David Abravanel, “fazendo uma contagiante faixa de

dança enérgica que, de toda forma, pulsa com tensão”.

 

Jackson se divertiu com a gravação da música. “Foi

particularmente satisfatória”, ele escreveu mais tarde, “porque (o

baixista) Louis Johnson me deu uma base suave o bastante para fazer

os versos e me deixou voltar cada vez mais forte a cada refrão”. Na

verdade, é possível que Jackson nunca tenha soado tão feliz, alegre e

desinibido quanto nesta joia disco-funk.

 

Envolto em cordas

efervescentes, forte contrabaixo e uma batida incessante, a voz de

Jackson soa com contagiante energia. “Não muitas pessoas deram a

‘Get On The Floor’, algum crédito”, escreveu o crítico musical Andre

Grindle. “Mas o fato é que ela é uma das mais consistentes faixas de

um forte disco-funk de 1979: os ritmos, o baixo e, é claro, a respiração

quente e pesada de Jackson no fundo é simplesmente suor cru, energia

e movimento.”

 

Na verdade, depois de construir o clímax com o grito

“Levante-se, você não continuará para baixo”, (um tipo de construção

primitiva que Jackson, igualmente, usaria no vídeo para “Smooth Criminal”), Jackson começou a ad-libs, como se revelando, na recémdescoberta liberdade dele, alegremente mudando vozes,

experimentando com inflexões, rindo e deixando os tradicionais

“ooooohs” e “heees” dele.

A música é, pura e simplesmente, uma celebração da vida, música e dança.

Source…..themaninthemusic.blogspot.com.br

Advertisements