THIS TIME AROUND……………….

 

(Canção e letra escrita por Michael Jackson. Música composta por

Dallas Austin, Bruce Swedien e Rene Moore. Produzida por Michael

Jackson e Dallas Austin. Coproduzida por Bruce Swedien e Rene Moore. Programação adicional: Simon Franglen. Teclado e

sintetizador: Dallas Austin. Rap por Notorious B.I.G.)

 

Seguindo a sombria “Stranger in Moscow” vem o colante hip-hop-funk de

“This Time Around”. O efeito de tão amplamente diferentes músicas – tanto

tematicamente quanto sonoramente – pode ser um pouco chocante para o

ouvinte. (Uma música como “In the Back” poderia ter funcionado como uma

ponte melhor entre as duas obras primas.) Mas Jackson queria moldar

contrastes no álbum e essa música, certamente, possibilitou isso.

 

Composta por Jackson e o produtor de Atlanta, Dallas Austin,

(coprodutor do CrazySexyCool, do TLC), a faixa segue na revolta de

“Scream”, enquanto Jackson deixa claro que ele não queria ser uma vítima.

“Desta vez”, ele promete sem rodeios aos acusadores e críticos dele, “eu não

estou pegando nenhuma merda!” Mais uma vez, Jackson não mostra

nenhuma inclinação para autopiedade. “This Time Around” é uma demolição

poderosa, corajosa, na qual a crescente revolta de Jackson está toda à

mostra.

 

“Até no meu lar eu não estou seguro como deveria estar”, fala Biggie

Smalls, “Coisas sempre ausentes/ Talvez pudessem ser meus amigos/Eles

não são amigos se eles me roubam.” Com a estrondosa batida dela e os

incríveis solos de guitarra, ela foi elogiada pela Rolling Stones como uma

“jam dinamite… pronta para remixes”.

 

A música é notável, também, pelo rap na ponte dela, feito pelo

Notorious B.I.G., que, então, no auge da popularidade dele, era, ao lado de

Tupac Shakur, provavelmente, o maior rapper do mundo. “Ele era uma

figura bastante imponente, quando ele entrou”, recorda John Van Nest da sessão no estúdio. “Eu não tinha ideia sobre o que esperar dele em termos de

atitude, mas ele parecia legal, quando ele entrou… Mas quase imediatamente

ele exclamou: ‘Ei, Dallas, eu posso conhecer Mike? ’ A isso Dallas

respondeu que ele pensava que sim. Biggie foi falar sobre o quanto esta

oportunidade significava para ele, como Michael era o herói dele”.

 

Biggie gravou o rap em apenas duas tomadas, antes de esperar Michael chegar para

escutar. “[Quando] Michael entrou, Biggie quase se debulhou em lágrimas”,

recorda Van Nest. “Eu poderia dizer o quanto isso significava para ele. Michael poderia ter esse efeito em qualquer um, até mesmo nos rappers mais

hardcore! Biggie estava quase tropeçando nas palavras dele, curvando-se e

dizendo a Michael o quanto a música dele tinha significado para ele na vida. Michael foi, como sempre, muito humilde e continuou sorrindo, enquanto

Biggie apenas continuou dizendo o quanto ele o amava.”

 

Depois de o improvável par ter conversado por um tempo, Jackson

pediu para ouvir o rap dele.

“Nós o colocamos nos alto-falantes grandes e a

deixamos ir”, recorda Van Nest. “Michael adorou. ‘Oh, vamos ouvir de

novo’ [ele disse] e nós ouvimos de novo. Michael apenas escutou e

agradeceu a Biggie por vir da Philadelphia.

 

Biggie perguntou a Michael,

timidamente, se ele poderia tirar uma foto e Michael concordou. Uma foto foi

tirada, nós escutamos, novamente e Michael agradeceu a Biggie. Michael

disse adeus e saiu, deixando Biggie lá, de pé, parecendo completamente

atordoado.

Source…..themaninthemusic.blogspot.com.b

Advertisements