. HEAL THE WORLD………..

 

(Escrita e composta por Michael Jackson. Produzida por Michael

Jackson. Coproduzida por Bruce Swedien. Gravada e mixada por

Bruce Swedien e Matt Forger. Arranjo do coro por John Bahler

apresentando os Cantores de John Bahler. Orquestra arranjada e

conduzida por Marty Paich. Arranjo rítmico por Michael Jackson.

Arranjo vocálico por Michael Jackson e John Bahler. Vocais solo e

background: Michael Jackson. Vocal solo final: Crista Larson.

Garota no playground: Ashley Farell. Teclado: David Paich e Brad

Buxer. Sintetizadores: Michael Boddiecker, David Paich, e Steve

Porcaro. Bateria: Jef Porcaro. Percussão: Bryan Loren)

 

 

Diferentemente de “We Are The World”, que é amplamente aclamada pela

mensagem humanitária e propósito dela, “Heal the World” foi recebida com

generalizado cinismo, particularmente nos Estados Unidos. O New York

Times a chamou de “pegajosamente doce” e “banal”, enquanto All Music

Guide se referiu a ela como “suavidade de classe média”. Esta dramática

mudança na resposta, todavia, pareceu ser mais um indicador do contexto

cultural (o pessimismo e desilusão geral do grunge e do rap dominavam a

cena musical em 1992), que qualquer diferença nos méritos das músicas.

 

 

“Heal the World”, como outros hinos da natureza dele, pode ser visto

como sentimental e idealista. Entretanto, para Jackson, o ponto de um hino

humanitário era muito simples. Ele queria uma música com uma mensagem

simples e uma melodia simples: algo que o mundo inteiro poderia cantar,

independentemente de linguagem, raça ou cultura. Em particular, ele queria

que as crianças desfrutassem e se beneficiassem disso. “Heal the World” era o veículo para esses objetivos sociais.

A música foi uma das primeiras a serem escritas e gravadas durante as

sessões de Dangerous. Jackson veio com a melodia e letra em 1989 e

começou a trabalhar nela, no estúdio, com Matt Forger e Brad Buxer, entre

outros. Para a introdução, ele teve Forger saindo para “gravar crianças

apenas sendo crianças”. Ele queria que elas dissessem algo sobre a situação

do mundo/planeta/meio-ambiente de uma perspectiva de uma criança, e ele

queria que isso fosse natural e não roteirizado. Isso acabou sendo uma tarefa

mais desafiadora do que parecia ser. “Eu devo ter gravado mais de cem

crianças”, recorda Matt Forger. “Eu liguei para todos os parentes que eu

conheço. Finalmente, eu entrevistei a filha de uma amiga de minha esposa.

 

Eu

comecei fazendo a ela perguntas sobre a terra e ela disse estas linhas ‘Nós

temos que pensar em nossos filhos e os filhos de nossos filhos… ’ isso foi

totalmente sincero. Sem qualquer pretensão ou instrução.” Forger trouxe isso

para Michael e ele pensou que era perfeito. “Eu comecei editando isso para

tirar algo do gaguejo e Michael disse: ‘Não, não, deixe isso. ‘Ele adorava esse

tipo de espontaneidade e inocência e é isso que ele queria capturar.”

“Heal the Wolrd”, a música, lançou a Heal the Wolrd Fundation,

uma organização dedicada a combater a pobreza, fome mundial, violência, e

doenças pelo globo. Em 1992, a organização sem fins lucrativos, abriu

escritórios pelo mundo e doou milhões de dólares para crianças

desafortunadas, de Los Angeles à Iugoslávia. As inúmeras atividades da Heal

the Wolrd Fundation, no início dos anos noventa, incluíram doações de

suprimentos de inverno para as crianças de Sarajevo; preparar e enviar

“caixas de sapato presentes” para empobrecidas crianças da Bósnia;

transporte aéreo de doses de vacinas infantis, urgentemente necessárias na

República da Geórgia; parceria com a Toys “R” Us e AmeriCares para

entregar milhares de dólares em brinquedos e comida e suplementos para hospitais infantis em Budapeste; e pagar pelo transplante de um fígado para

um menininho Húngaro.

 

 

Sem dúvida que é devido ao profundo impacto pragmático da

música, em todo o mudo, que Jackson considera a canção uma das maiores

realizações dele. “‘Heal the World’ é uma das minhas favoritas coisas entre

as que eu já gravei” ele disse em uma entrevista em 1996, “porque ela é uma

canção de conscientização pública. É algo que eu penso que irá viver nos

corações das pessoas por muito tempo”.

Em janeiro de 1993, com o apoio do ex-presidente Jimmy Carter,

Jackson também iniciou Heal L.A., uma Iniciativa de Socorro de Crianças,

proporcionando “imediata ação para ajudar crianças e jovens”. Depois de

performar “Heal the Wolrd” diante de uma audiência recorde no show de

intervalo do Super Bowl de 1993, Jackson teve o cachê de $ 100.000 dólares

dele doados para Heal L.A.

 

“Quando uma audiência acende as velas e balança para ‘Heal the Wolrd’”, o amigo de longa data de Jackson, Deepak Chopra, observa, “um

espaço é criado, onde ninguém é ímpio, nenhuma religião pode exercer o

exclusivo imaginário patente dela sobre o verdadeiro Deus. Na medida em

que Michael inspirava tal sentimento, ele curava os próprios demônios e os

nossos, se apenas por uma hora”.

 

Na verdade, no memorial de Jackson, em 2009, em Los Angeles, um

grupo cantando “Heal the World” foi o número final. A melodia e as palavras

dela foram cantadas não apenas por amigos, família e colegas presentes, mas

também por milhões, que assistiram pela TV e online, em todo o mundo.

Talvez, o mais comovente, no entanto, foram os próprios filhos dele, à frente

e no centro, fervorosamente cantando os sonhos utópicos do pai deles.

 

Source……themaninthemusic.blogspot.com

Advertisements