DANGEROUS…………….

 

(Escrita e composta por Michael Jackson, Bill Bottrell e Teddy Riley.

Produzida por Teddy Riley e Michael Jackson. Gravada por Jean- Marie Harvat, Bruce Swedien, Teddy Riley e Thom Russo. Mixada

por Bruce Swedien e Teddy Riley. Arranjo rítmico por Teddy Riley.

Arranjo de sintetizadores por Teddy Riley. Arranjo de vocais por Michael Jackson. Vocais solo e background: Michael Jackson.

Sintetizadores: Teddy Riley, Brad Buxer e Rhett Lawrence)

 

 

O álbum fecha com o new jack funk industrial de “Dangerous”, uma das mais

resistentes, e mais impressionantemente, faixas dançantes produzidas de

Jackson. Ela foi também usada para uma das mais memoráveis performances

ao vivo dele , em 1995, no MTV Music Awards.

Jackson gravou a primeira versão com Bill Bottrell (um mix da era

Bad, conduzida por teclado, que pode ser ouvida no Michael Jackson: The

Ultimate Collection), mas o cantor sentiu que alago estava faltando. Não

tinha a sensação áspera ou contemporânea que ele estava tentando alcançar.

Ele, subsequentemente, decidiu trabalhar nela com Teddy Riley. “Eu disse a Michael”, recorda Riley, “Eu gosto de Billy. Eu gosto da produção dele e

tudo sobre ele. Mas este é o seu álbum, Michael. Se este é o tom certo, eu

posso usar o que você tem no seu canto. Deixe-me mudar todo este fundo e

colocar o novo soalho nele. ’ Ele disse ‘Tente isso.

 

Eu suponho que nós

temos que usar o que nós adoramos. ’ E nós fizemos. Eu estava muito certo

de que se ninguém mais tivesse vindo com uma ‘Dangerous’ melhor,

[Michael] teria usado aquela. Portanto, não é sobre mim ou Billy [Bottrell]; é

sobre a música. Eu sempre digo que a música é a estrela.”

Da parte dele, Bottrell concordou: “Eu nunca me senti em competição

com Teddy e quando MJ sugeriu que Teddy fizesse uma versão, eu não tive

problema com isso. Hey, isso é sobre escrever. A versão de Teddy agita e

soa como os anos 90, enquanto a minha era locada nos anos 80”.

 

 

Na verdade, em retrospecto, ambas as versões da música são

excelentes, mas a de Riley fez mais sentido para o som do ábum. Riley deu a

música um “tenso ritmo mecânico”, em contraste com a produção mais

espaçada e “taciturna” de Bottrell. O resultado é uma música que soa como

se tivesse sido criada nas profundezas de uma fornalha: a abertura

brilhantemente constrói tensão, quando a batida melancólica gradualmente

aumenta de intensidade até a batida golpear. Os sons de fábrica são a sonora

inspiração para o centro industrial da capa do álbum.

O tema da música é um básico de Michael Jackson: desconfiança e

intriga sobre uma mulher sedutora (“A garota era persuasiva/ A garota eu não

poderia confiar”). Em muitas das melhores canções de Jackson, ele é

posicionado nessa tensão. “Fundo na escuridão de uma paixão insana”, ele

canta, “eu me sentia tomado por um estranho desejo inumano”.

 

Ele está

intrigado por muitas possibilidades representadas na mulher; mas ele também

teme a repercussão e tenta se conter (“Eu tenho que orar a Deus/Porque eu

sei como/Desejo pode segar”). Talvez isso seja a força disciplinadora da

educação religiosa. Mas Jackson está claramente dividido, simultaneamente

atacando e se entregando ao “perigo”.

 

Os versos são narrados em um quase sussurro, como se um segredo

estivesse sendo transmitido ao ouvinte. Na progressão, Jackson confessa a

vulnerabilidade e a confusão dele, admitindo “Eu nunca soube, mas eu

estava/ caminhando na linha.” Ele percebe que ele está em uma situação

precária: ele não pode se esconder nem se isolar da vida ou aproveitar a

chance e arriscar ser explorado e magoado. A tensão dessa situação é

construída até o refrão explodir uma palavra definidora: perigosa.

É uma maneira legal, circular, de terminar o álbum. Jackson poderia ter

finalizado na nota alta, transcendente, de “Will Be There” ou “Keep the

Faith”, mas em vez disso, escolhe retornar à sinistra incerteza e ambiguidade

da primeira faixa, “Jam”. A implicação é que vida, para Jackson, poderia

conter vislumbres de alívio, até mesmo êxtase; mas o mundo real de doenças

e ansiedade nunca é removido por muito tempo; o “perigo” está sempre nvadindo, ameaçando a paz dele. A faixa título representa esse perigo em

forma de mulher, mas para Jackson isso parece mais sobre negociar o

destino dele em um mundo que ele teme.

 

Source…………..themaninthemusic.blogspot.com.br

Advertisements