18. CAP.

 

Acordei em uma cama de hospital sem entender o que estava fazendo ali. Afinal eu não avia morrido. Mas sentia que algo tinha acontecido

. Será que alguém me encontrou depois que ele me deixou ali e me trousse para o hospital?

 

Meu Deus e Michael? O show? Onde ele estava?

 

Será que ele soube do que tinha ocorrido? Ai meu Deus que vergonha. Nunca mais poderia olhar para ele.

Eu estava perdida em meus pensamentos quando escutei vozes vindo do corredor e fiquei olhando para ver quem entraria na porta do quarto.

 

A porta se abriu e vi um homem de jaleco brando entrando e abrindo a porta ainda mais para alguém entrar e meus olhos brilharam quando notei Michael entrar e sorrir para mim.

 

— Michael! Eu disse entre as lágrimas que escorriam do meu rosto.

 

— Não chore meu amor. Tudo já passou. Ele falou vindo rápido em minha direção sentando do meu lado na cama e me abraçando apertado.

 

— Michael era o Joe. Eu falei ainda em prantos.

 

— Chiiiii. Já passou. Ele foi preso amor. Não vai mais lhe fazer mal algum. Eu prometo. Ele falou ainda me apertando em seus braços.

 

— Preso! Como conseguiram? Eu falei me afastando dele e olhando ele nos olhos.

 

Michael olhou para o médico que saiu rapidamente sem dizer uma só palavra e me olhou ternamente.

 

— Vick. Preciso lhe pedir perdão por algo que não podia lhe contar. Ele falou segurando o meu rosto em suas mãos.

 

— Não estou entendendo Michael. Eu falei ainda em suas mãos.

 

— Fui eu que armei tudo aquilo. Só não contava que ele fosse estúpido o bastante para lhe agredir. Me perdoe. Jamais pensei que ele pudesse fazer isto. Ele falou abaixando as mãos e sua cabeça.

 

— Como assim armou tudo? Eu falei abismada com o que ele disse.

 

— Fui eu que implantei o envelope na mesa da Alex com a ajuda do Jony. Fui eu que arrumei a instalação dos cabos que você foi por. Ele falou me olhando triste.

 

— Por que? E com a ajuda do Jony! Eu achei que era ele o autor do primeiro atentado. Eu falei sem entender nada.

 

— A principio eu também achei. Mas notei que não era ele depois que fui falar com ele. Ele gosta muito de você, mas não chegaria a ponto de fazer aquilo. Fui então que resolvi colocar um investigador em ação. Ele investigou todos os funcionários envolvidos neste projeto.

 

Deste a parte do Madison da minha parte e a de vocês. E advinha quem encontramos com processos de violência, agressão e abuso sexual contra suas namoradas.

Mas não podíamos fazer nada se ele não atacasse novamente.

Então precisei a da ajuda do Jony para ser aqui no Madison e teria que ser no último dia do show. Seria ariscado, mas tinha que ser feito. Lamento ter que expô-la desta forma, mas só assim para pegarmos ele. Michael me falou as ultimas palavras com dor em seus olhos.

 

— Mas como tinha certeza que ele cairia na armadilha? Falei querendo entender direito.

 

— Não era necessário os cabos. E Jony deu um jeito dele saber que você ir fazer o serviço. Não tinha outra pessoa responsável por isto. E seria na mesma sala aonde ele tentou pela primeira vez. É a sala mais propícia para isto.

Eu temi nesta hora. Pois quando você o entrou já estava lá dentro lhe esperando, pois a pessoa que coloquei para vigia-lo já tinha me avisado quando você chegou.

 

O segurança que lhe protegia sabia o que seria feito e entrou logo que você sumiu entre os corredores e ficou atento no escuro. Só não contávamos que nos perderíamos nos corredores a sua procura tentando não fazer barulho, tínhamos o mapa, mas mesmo assim quase chegamos tarde. Não me perdoaria se ele tivesse conseguido algo. Ele falou parecendo arrependido do que planejou.

 

— Então ele não? Eu nem quis terminar de dizer e vendo Michael estalar os olhos diante da visão do que eu queria saber.

 

— Não! Graças a Deus que não. Ele nem deveria ter chegado assim tão longe. É que realmente se perdemos pelo caminho. Ele falou me apertando contra o seu peito diante da visão que ele via.

 

— Você estava lá? Eu perguntei escutando o seu coração bater forte em meu ouvido.

 

— Sim. Quando você entrou nos corredores eu já estava em meu camarim já fazia tempo. Só fiquei aguardando o momento de agir. Ele falou ainda comigo em seus braços.

 

— Então foi você o meu anjo salvador. Eu disse erguendo a minha cabeça e olhando em seus olhos.

 

— Eu a amo tanto menina. E nem sabe o quanto. Eu estava morrendo de medo que algo acontecesse a você. Na noite de ontem quando me perguntou se eu tinha algo era isto que eu temia.

 

Há dias não conseguia dormir direito de preocupação desde aquele dia que ele lhe atacou pela primeira vez e com o show em cima e nós não podendo fazer nada. Foram dias de aflição.

Confesso que tomei algo para relaxar e acabei exagerando um pouco por causa da tenção me deixando meio grogue depois que conseguimos pegá-lo e levar você para o hospital.

 

Eu queria cancelar o show para lhe acompanhar, mas minha equipe não deixou e a Alex me garantiu que me daria notícias suas logo que saísse.

Não sabe como tive que fazer o show, não conseguia me consertar nas coisas só pensava em você e quando o show terminou eu corri para cá e estou aqui desde ontem ele falou me apertando novamente em seus braços e me beijando o alto da cabeça.

 

— Mas graças a Deus tudo terminou bem. Eu falei o apertando ainda mais em meus braços em torno da sua cintura e sentindo o seu cheiro e saiu calor.

 

Sai naquele mesmo dia do hospital com Michael grudado em mim parecia que ele não se importava mais com a mídia nos descobrirem. Ele só queria ficar comigo, depois de alguns contra tempos me mudei para a mansão e para a cama dele como a nova senhora Jackson.

E assim os dias se seguiram, não digo que foi fácil a vida com ele, nunca era.

Michael era um astro e um ídolo de milhões, e isto jamais mudaria.

 

Um ano depois um lindo bebe veio ao mundo e seria seu terceiro filho.Michael estava radiante e feliz estava fazendo planos para um novo álbum e uma nova turnê que levaria alguns amos para acontecer.

 

Que se chamaria. This is it.

 

E que seria como ele dizia. O maior espetáculo da fase da terra. Algo que jamais um artista fez, algo tão grandioso e que ele faria como a cortina final.

 

Obra de uma vida inteira dedicada a musica a dança e a seus fãs que ele amava de coração.

Então esperaríamos o grande dia, em que elevaria Michael Jackson a mostrar ao mundo aquilo que ele sempre foi.

 

O rei do pop. Um ídolo e que se tornaria uma lenda.

 

– Fim

Advertisements