ANOTHER PART OF ME……………….

(Escrita e composta por Michael Jackson; produzida por
Quincy Jones; Arranjo rítmico e vocálico por Michael Jackson
e John Barnes. Arranjos de instrumentos de sopro por Jerry
Hey. Vocais solo e background: Michael Jackson. Guitarras:
Paul Jackson Jr. E David Williams. Saxofones: Kim Hutchcroft
e Larry Williams. Trompetes: Gary Grant e Jerry Hey.
Synclavier: Christopher Currell. Sintetizadores: Rhett
Lawrance e John Barnes)
“Another Part of Me” foi originalmente apresentada na atração filme 4-D
de Jackson, Captain EO, na Disneynland. O excêntrico groove
dirigido por sintetizador é sobre o poder cósmico da música em trazer
paz mundial e harmonia. “Nós estamos assumindo o controle”,
Jackson canta, “Nós temos a verdade/ Esta é a missão/ Para ver
através”. Liricamente, é uma sequência de “Can’t You Feel It”, uma
sincera, se não simples, mensagem musical que reflete a mitologia do
bem versus mal dos filmes de ficção cientifica dos anos oitenta, como
Star Wars. Enquanto a letra poderia ter funcionado em um contexto de
atração da Tomorrowland, porém, críticos sentiram que a faixa
revelava uma messiânica ingenuidade, estilo Reagan, sobre o mundo.

menos que alguém leia a música como uma sátira do imperialismo
Cold-War, há algum mérito para essa crítica. Certamente, muitas das
músicas políticas posteriores de Jackson – “Jam”, “They Don’t Care
About Us”, etc. – são muito mais sofisticadas e convincentes
declarações sociais. Embora Jackson fosse um talentoso compositor,
desde o início da carreira solo dele, ele cresceu e amadureceu em
muitas áreas e, talvez, em nada mais claramente que nas faixas
“socialmente conscientes” dele.
Interessantemente, apesar de “Another Part of Me” ter sido
uma das primeiras faixas escritas e gravadas para Bad, ela foi uma das
últimas a ser escolhida para inclusão. Jackson se inclinou para o groove
mais ousado, estilo blues, “Streewalk” (produzida por Bill Bottrell).
Quincy Jones, porém, preferiu “Another Part of Me” e, por fim,
convenceu Jackson a mantê-la no álbum. Desde que Bad era,
principalmente, um álbum cujo tema era a fantasia, isso fazia algum
sentido (porém, “Streetwalker” teria acrescentado ao conceito mais
ousado).
Sonoramente, “Another Part of Me” oferece um ritmo tenso,
mecânico com afiados instrumentos de sopro e ágeis harmonias. O Los
Angeles Times chamou-a uma “heavy rif R&B… [com] uma saudação
oportuna à convergência harmônica”.

A música alcançou o #1 nos
charts R&B nos Estados Unidos, mas foi o primeiro single de Jackson
incapaz de chegar ao top ten na Billboard Hot 100, chegando, no
máximo, ao #11.

Source…..themaninthemusic.blogspot.com.br

Advertisements