13. CAP… “ Invisíveis”  

 O dia amanheceu calmamente e ensolarado. As crianças acordaram e Michael parecia mais tranquilo e feliz.

Eu me acordei meio sonolenta ainda, mas logo me recompus com alguns beijos estalados e mãos ávidas por algo.

Mas quando Michael quase me convencia que fazer amor pela manhã era perfeito ainda e já estava todo excitado do meu lado, as crianças entraram no quarto saltitantes e tagarelas.

E quase morri de rir quando Michael fez sua face de desagrado. Ele queria fazer amor logo pela manhã. O que deu nele hoje?

— Do que ri mamãe? Matt falou me olhando feliz entrando pela porta acompanhado de sua irmã.

— Do biquinho de alguém decepcionado por não conseguir sorrir feliz já cedo. Eu disse vendo Michael revirar os olhos.

Ele detestava ser interrompido em suas investidas sedentas por um amor insano. Mas desfez o bico quando viu seus filhos não entenderem nada e vieram correndo em nossa direção.

— hummm….. Mamãe, mamãe. O dia está lindo? Podemos ir brincar no parque e ir ao Zoológico hoje? Naquele que vimos na TV ontem. Matt falou pulando na cama em cima de mim e Victory veio correndo trançando as perninhas abraçar o pai que sorria descabelado e se cobrindo para eles não notarem como ele estava.

— Parque, Zoológico? Que parque? Estão falando de Los Angeles do Zoo? Michael falou erguendo a filha para cima e ajeitando as cobertas em sua cintura e vendo ela sorrir.

— Sim papai. O parque das girafas. Como aquela que vimos na África o ano passado. Aqui tem também sabia? A Vick não se lembra por que era um baby. Mas agora ela pode ver mais. Matt falou mostrando o que queria.

— Mas sua irmã ainda é um baby Matt. Eu disse vendo ela brincar com os cabelos desalinhados do pai.

Matt revirou os olhos como Michael e Blanket  faziam e fez uma face de superior para mim.

— Mas mamãe! Victory era muito pequena. Ela só babava e chorava nos braços do papai e da Anny. Agora ela pode ver melhor e entender o que são girafas. Matt falou como se soube-se do que falava.

— Wow…… Quem diria senhor Jackson. Seu filho é um rapazinho observador. Eu disse o acomodando melhor entre as minhas pernas e Matt sorriu com um sorriso estonteante.

— Mas é claro que ele é. Veja de quem ele é filho. Este é meu pequeno Matt. Michael falou puxando o filho para os seus braços e começaram ali um mar de cócegas e risadas.

Logo nos levantamos e fomos tomar um café lindo e reforçado. Afinal iríamos ao parque e ao Zoo ver a girafas.

Mas um esquema de guerra seria montado só para podermos ter um dia descontraído sem chamar atenção. Aquilo era ariscado, mas Michael jamais se permitiria deixar seus filhos sair sem ele.

Michael tinha suas razões e eu não discutia. Ele havia mostrado ao mundo os seus filhos maiores e com isso o nosso também, mas era como um sistema de proteção.

O que se era visto e conhecido as vezes tinha sua segurança. Ninguém ousaria tocá-los e machucá-los diante de todos. O mundo conhecia os três filhos de Michael Jackson, e isso não poderia ser mudado jamais. Então de alguma forma eles estavam seguros. O mundo os observava atentos.

Depois de Michael usar um disfarce que as crianças riam por que ele ficava engraçado de barba e bigode, saímos dali com dois carros discretos.

O anonimato era a nossa segurança. Michael estava morto para o mundo, mas não para os seus filhos e quem sabia de sua ousadia. E todo cuidado era pouco.

Já a minha presença por vez se passava despercebido diante de todos. Quem me visse, diria que eu apenas era uma mulher elegante com seus filhos e marido a brincar e se divertir em um parque e um zoológico da cidade.

 A minha ligação no passado com o mundo de Michael, parecia ter sido esquecida, mas mesmo assim eu não abusava da sorte.

— O Zoológico me parece tranquilo senhor. Peter falou me ajudando a descer do carro e vendo os lados com atenção.

— Assim é melhor. Nós vamos circular entre as pessoas e mostrar naturalidade. Só quero que meus filhos se divirtam. Não quero ter que sair correndo daqui com meus filhos e minha mulher. Eu morri para todos e não quero assustar ninguém. Por isso sejam discretos. Fiquem afastados, e de olho nas crianças. Eu creio que meu disfarce é perfeito. Michael falou baixo para os seguranças escutarem e vendo as pessoas não nos olhar tanto.

— Sim senhor. Bobby falou arrumando seus óculos escuros e com roupas confortáveis como os outros.

— Michael se acalme. Você está irreconhecível. Vamos, relaxe meu amor. Eu disse vendo Matt saltitar ao descer do carro com Ramires o segurando pela mão e Victory nos braços da baba.

— Okay. Só é precaução meu amor. Já imaginou se alguém suspeita? Isso vai viram um inferno. E daí sim eu morro mesmo. Michael falou pegando a minha mão e me olhando temeroso.

— Há,Há, Há. Como se seus fãs não acreditassem que você não morreu. Não assiste TV? O que vê na net? Acha mesmo que seus fãs não são believer meu querido? Eu disse vendo ele revirar os olhos e começar a me arrastar para a entrada do Zoológico.

Michael fez um sinal para todos andarem e bufou meio que sorrindo.

— Eu sei que meus fãns são espertos. Afinal eu gritei e deixei vários sinais sobre isso. Quem é meu fãn de verdade sabe da verdade. É só perguntar aos seus corações. Michael falou sorrindo para mim e seguimos o nosso passeio naquele dia.

O dia transcorreu normalmente, o Zoo não estava cheio e as crianças como Michael puderam brincar no parque discretamente e felizes. Os seguranças ficaram afastados e nos observavam com atenção, a baba com Ramires se encarregarão de ficar de olho nas crianças e assim o nosso dia transcorreu como se fossemos ali parte das pessoas que podiam viver suas vidas sem maiores problemas.

Quando o carro seguia para casa já ao entardecer, o motorista parou no sinal vermelho e notei as crianças adormecidas em nossos braços.

Elas todas suja de areia e com suas faces e barrigas cheia de pipocas, algodão doces e várias guloseimas, e inclusive Michael que não escondia a sua face de cansado, pareciam repousar tranquilos e serenos, mas algo nos chamou a nossa atenção.

As cenas e dizeres que percorriam uma loja com uma TV enorme como vitrine, dava as noticias dos últimos dias e em letras garrafais em uma das ruas mais movimentadas da cidade, a Rodeo Drive.

TMZ News dava o seu show………..

As fotos e as notícias da família Jackson ainda movimentava o mundo, mas desta vez não era o encanto e a graça de quem um dia encantou e revelou a maior lenda que existiu.

Os Jackson eram notícias mais uma vez, e isso não era nada encantador.

—-“ Janet Jackson e outros membros da família estão barrados da casa da mãe e dos filhos de Michael Jackson.

—-“ Quem são os jogadores na disputa na família de Michael Jackson?

—-“ Espólio de Michael Jackson está para conseguir a guarda das crianças.

— Deus! Que inferno é esse? Eles jogam tudo na Mídia. A roupa suja esta sendo lavada em publico! Eles querem mesmo acabar comigo! Michael falou apertando seus punhos e contendo uma lágrima que insistia em cair.

Eu olhei naquele homem a minha frente, debaixo de um disfarce que mal escondia agora quem ele era, e notei seu cansaço e tristeza. Mesmo morto e feito um imenso sacrifício, ele ainda sofria.

— Eu lamento. Nós sabíamos que os detendo de chegar perto de sua mãe e das crianças sairia isso. Eles jogam com seus fãns e com a mídia. Você sabe que quando se quer tudo se manipula e se consegue. Eu falei vendo Victory se mexer em seus braços e ele a segurar firme acarinhando os seus cabelos que estavam desalinhados.

— Mas era a única forma de tirar eles de perto das crianças. Eu sei que minha mãe sofre. Afinal eles são seus filhos, sua família. Mas ela sabe o que eles querem. Sempre foi assim. E agora que não consigo fazer muito para os deter sem me expor ou expor você, eles vão como lobos em cima dos cordeiros. Eu compreendo as suas decisões e não a contesto Med. Eles precisão ser detidos. De alguma forma parar com isso. Amanhã eu darei um jeito de ir até lá. Ou encontrar eles em algum lugar que não nos ligue. Eu preciso falar com Kath e TJ. Michael falou vendo as ruas da cidade que ele sempre amou correr rápido por detrás dos vidros escuros agora.

— Vá com calma meu amor. Eu sei que é doloroso. Mas precisamos não cometer erros. Ou tudo aquilo que você mais lutou para esconder, virá a tona. E isso eu não irei deixar. Eu disse vendo Michael se virar para mim e me olhar com seus olhos marejados de lágrimas.

— E eu não vou deixar o mundo ou a minha família, lhe tachar de algo que você jamais foi. Você é alguém para mim Med. Você é minha vida. Você sempre esteve comigo em meus maiores medos. Em minhas maiores tormentas, seus olhos meigos e sua voz suave sempre tiveram de alguma forma do meu lado e em meu coração. Você deu para mim algo que não se pode comprar Med. Meus filhos e seu amor verdadeiro. Você não quis que o mundo soube-se de nós por amor a mim. Por que sabia que neste mundo onde vivemos. É as apareciam que nos condenam. Eu amo você por isso. Você sempre foi a dama em meus sonhos e em minha vida. Não vou deixar você ir ao extremo por causa de pessoas que acham que dinheiro é tudo na vida! Nem que estas pessoas sejam a minha própria família. Michael falou indo as lágrimas e me levou junto com ele.

Eu acomodei Matt com a baba e me sentei do seu lado e o abracei apertado sentindo um dos seus braços me envolver, eu lutava para não deixar o meu choro sair alto.

Meus soluços eram abafados pelos beijos que Michael ternamente me dava. Mas ele mal sabia que os dele também eram ouvidos mais que os meus.

Sua filha se remexeu em seus braços parecendo acordar. Ele me soltou de seu abraço e a conchegou mais perto de seu peito, limpou suas lágrimas e olhou para fora a noite que começava a cair.

Eu olhei meu filho adormecido no banco do carro, com a cabeça inocente no colo da baba que chorava em silencio. Eu sabia o que ela sentia.

 Afinal ela sabia do nosso segredo desde quando Blanket veio ao mundo, e assim sofria conosco a ganância de alguns. Eu respirei fundo contive um leve mal estar pelo cansaço, entrelacei o meu braço no dele que me olhou e deu um leve sorriso e voltou a olhar a noite lá fora e encostei a minha cabeça em seu ombro.

O nosso dia mágico e feliz tinha sido perfeito. Mas como sempre, voltar a realidade de nosso mundo era terrível.

continue…. Kisses in your hearts…

Advertisements