5.CAP…. “ Primeiro Dia.”

Depois de perdermos horas explorando a casa, os jardins todos e também as passagens que existiam ali naquela bela casa, estávamos eu e Michael vendo um belo filme de desenho animado na TV com as crianças a tarde quando o celular de Michael toca alto na mesinha.

— Não acredito justo agora! Na melhor parte! Michael protestou fingindo ignorar o seu celular.

— Atenda. Pode ser John com as notícias. Eu disse arrumando melhor Victory que já dormia em meus braços.

— É papai. Se for o tio John ele não vai parar. Matt falou querendo poder ouvir melhor a TV.

Michael revirou os olhos e se levantou contrariado e foi atender. Mas notei pela sua fisionomia que não era John ao telefone.

— Olá Joe. Michael falou fazendo um tremendo esforço para ser gentil e saiu discretamente para a sacada.

Eu levantei mais um pouco o volume da TV para que se Michael perdesse a calma, as crianças não escutassem. E fiquei atenta ao homem que andava de um lado para o outro gesticulado, passando as mãos nos cabelos e parecendo mais que irritado.

Depois de alguns minutos Michael entra no quarto mais que furioso. Mas se continha por causa das crianças. Ele jogou o celular na poltrona e voltou para cama para terminar de ver o desenho comigo e seus filhos.

— O que ele queria Michael? Eu disse passando a mãos em cima do seu braço que abraçava o filho que começava a cochilar.

— Infernizar. Não importa o quanto eu dê. Eles sempre querem mais.  Mas isso vai acabar. Michael falou com sua voz mais que zangada e o filho se remexeu em seus braços.

Eu notei um homem já cansado de tantas desavenças e disposto a por um fim num inferno que durava a sua vida toda.

— Calma meu amor. Eles vão ter o que merecem. Eu disse mostrando que ainda podíamos com eles.

— Eu sei. Mas custava nos deixar em paz? O acordo que fiz não foi o suficiente para cuidar dos meus filhos e mantê-los fora da vistas de todos? Por que agora tudo isso? Eu sei o que os move. E isso eles não vão ter. Ele falou olhando para mim fixamente e voltou a sua atenção ao desenho que terminava.

Eu levantei a minha mão e acariciei o seu rosto com a barba por fazer e ele se virou para mim pegou a minha mão e beijou a palma dela e sorriu com o seu sorriso mais sexy.

— Nós vamos conseguir. Eu disse sentindo o meu amor por ele cada vez maior.

— Sim senhora Jackson. Nós vamos. Para o bem de nossos filhos, nós vamos. Ele falou se inclinando para me beijar e sua filha resmungou.

Olhamos para as duas crianças que dormiam em nossos braços e sorrimos. Ele me deu um selinho e levamos as crianças para a sua baba que já os esperava.

O restante do primeiro dia na casa nova foi tranquilo. Os empregados colocaram as coisas nos seus devidos lugares e recebemos o restante dos objetos que Michael mandou vir do depósito que estavam.

Eram muitas coisas que ele amava no decorrer da sua vida como artista. E que tinham sido levadas para um deposito depois que a noticia de sua morte saiu.

Organizamos algumas coisas numa imensa sala e nos divertimos em outras. Por mais que conhecia Michael a anos nunca tinha visto tanta coisa dele espalhada em minha vida.

— Nossa! Olhe isso aqui? Eu conheço esta calça. Pelo que me lembro ela foi uma sensação na época. Eu disse retirando uma calça dourada de uma das caixas.

Michael se virou para mim e sorriu maliciosamente enquanto via um álbum de fotos.

— Hé….. Eu me lembro da repercussão que deu. Eu não sabia que ficaria daquela forma no palco no meio do show. Ele falou ainda parecendo lembrar do passado.

— Não! Seu mentiroso. Claro que sabia. Tanto que ficou com ela na turnê toda. Até eu me espantei em algumas cenas. Se você percorrer a internet, verá que ela ainda é o furor diante suas fãns. Eu falei fingindo um ciúmes que ele adorou ver.

Michael largou o álbum de fotos e veio na minha frente. Pegou um chapéu colocou um dos seus paletós, pegou a calça das minhas mãos e sorriu deliciosamente.

— Eu vou lhe mostrar como eu não sabia que ficaria daquela forma. Michael falou abrindo o zíper de sua calça preta, retirou ela e vestiu a calça dourada na minha frente.

Eu observei todos os seus gestos já imaginando o que sairia daquilo tudo e meu sangue ferveu.

Quando ele terminou de se arrumar ele abriu os braços e mostrou que não aparecia nada de mais, e fez uma face de inocente.

— Hummm… Tá certo. Mas como você não está num palco, está usando sua Box e não esta cantando e dançando para os seus fãns alucinados em um show. Eu farei de conta que sou aquilo que lhe estimula. A adrenalina. Se você se manter sem mostrar nada visível ai em baixo. Eu acreditarei em sua inocência. Okay? Eu disse dando a volta em torno dele e passando o meu dedo indicador em seu corpo que tive a certeza que se arrepiou todo.

Quando parei em sua frente ele olhou em meus olhos e sorriu malevolamente.

— Okay garota. Você ganhou. Olhe meu estado. Michael falou me puxando para ele e me levou de encontro a parede.

Eu ri alto de sua atitude. Eu acreditava piamente que ele sempre sabia a reação que causava nas mulheres. Michael sabia que provocava.

Quem dizia que ele não era sexy era um baita mentiroso. Michael sabia como ninguém levar ao delírio seus publico feminino.

E eu tinha certeza que iria provar agora, aquilo que toda fãn amaria sentir com ele vestido daquela forma.

continue…. Kisses in your hearts…

Advertisements