11.CAP…..

O seu nervosismo era explicito a minha frente, e eu senti a vitória por sempre conseguir aquela reação nos homens me orgulhar.

Seus olhos explodirão de desejos, mas ele se manteve firme em seu lugar, eu podia ver de onde estava o seu coração disparar e a saliência em suas calças deveria estar latejante.

Eu caminhei até ele devagar e retirando o excesso da água de meus cabelos conforme os passos eram dados e fiz de propósito um movimento sexy ainda nua.

— Um belo mergulho eu posso assegurar Michael, e obrigada pela gentileza. Eu falei indo até ele e me virei de costas para ele colocar em mim o robe que segurava em suas mãos.

— Disponha. Ele mal conseguia dizer as palavras.

Eu me virei para ele e encarei seus lindos olhos negros brilhantes. Mas eu sabia que o robe que tinha vestido mal me cobria os seios que estavam expostos para ele, eu deixei aberto de propósito e quando dei mais um passo em sua direção, um dos meus seios tocou nele por estarem irregecidos pela água fria e o ar da madrugada.

— Eu não sou de ferro. Michael falou me tomando em seus braços e invadindo os meus lábios alucinadamente.

Com maestrina e uma precisão não sei da onde, ele me empurrou contra a parede do jardim mais ao lado e deixou a sua insanidade falar mais alto. Suas mãos exploravam o meu corpo com maestria e selvageria.

Seus beijos e sua língua percorriam o meu corpo como podiam. E ouvi ele gemer alto quando soltei o cordão do seu pijama e acariciei os seu membro com vontade.

— Deus! Você me alucina. Como pode ser tão indecente garota? Michael falou sugando os meus seios um de cada vez enquanto eu soltava mais suas calças de seda e elas caiam ao chão facilmente, pois notei que ele não usava roupa intima.

— Eu sou os seus sonhos mais secretos. Eu sussurrei sentindo ele invadir as minhas entranhas com seus dedos e fazer os movimentos que me deixavam insana agora.

— Pois eu serei os seus sonhos mais secretos que teve um dia minha garota indecente. Michael falou erguendo uma de minhas pernas e passando o seu membro entre a as minhas pernas me mostrando que estava totalmente excitado.

Eu gemi quando ele ameaçou me invadir ali mesmo de pé naquela posição maluca, mas quando ele ia fazer isso, escutamos um barulho mais ao longe.

— Espere, aqui podemos ser vistos apesar que eu disse que não queria ninguém aqui. Venha. Michael falou me puxando pela mão me levando até a piscina de volta.

Com rapidez ele se desfez do resto da sua roupa e entrou na água fria. Eu soltei o robe pelos meus ombros e deixei ele deslizar por eles até o chão. Michael só me observava e quando eu finalmente entrei na água, ele me puxou para ele me encostando na borda da piscina no lado mais escuro que tinha.

— Agora me de aquilo que tanto me excitou. Michael falou me invadindo os lábios com desejo.

Eu gemi quando ele me imprensou na parede gelada e me acariciava como ele pudesse fazer aquilo todo o tempo de sua vida.

Dos beijos mais devassos e gemidos que mal conseguíamos conter para não chamar atenção, fazíamos proezas que até eu com muito tempo de ousadia ficava surpresa.

Eu nunca me detive a um ato de pura adrenalina e paixão, mas Michael conseguia arrancar de mim gemidos mais profundos que pensei que não existiam em mim.

Com uma força surpreendente Michael me colocou sentada na beirada da piscina e abriu as minhas pernas na sua frente vislumbrando aquilo que ele parecia cobiçar, os seus beijos e lábios foram descendo o meu ventre e só pararam para me olhar quando seus lábios tocaram aquilo que ele mais almejava.

Quando ele me viu sorrir diante de seus olhos maliciosos, ele invadiu a minha intimidade me fazendo gemer de prazer. Com seus dedos e língua ele me levou ao êxtase e pareceu sorri quando notou que conseguiu o que desejava.

— Seu sabor é mesmo alucinante. Ele falou satisfeito por me fazer delirar.

Eu me sustei nos cotovelos no piso duro e olhei para ele desafiadoramente.

— Pois bem. Eu não sou mesquinha. Vou fazer este seu sorriso ficar mais largo em seus lábios. Eu disse descendo de volta para a água e invertendo as posições.

Michael sentou na beirada e percebeu o que eu faria. Abriu as pernas para mim e esperou eu me deliciar em seu membro.

As investidas foram delicadas e sutis fazendo ele sempre querer mais, mas quando eu aprofundei os lábios nele, eu escutei ele gemer alto.

Eu me sustentava nas margens da piscina e fazia Michael entrar em suas fantasias mais alucinantes em sua mente.

Quando ele jogou a sua cabeça para trás e gemeu alto, eu senti em meus lábios o êxtase que se aproximava e me preparei para dar o ato final.

Mas surpreendentemente ele se sentou mais ereto e deslizou para dentro da piscina me virou de costas para ele e sussurrou em meu ouvido ofegante.

— Quero o serviço completo. Ele falou estendendo as minhas mãos na beirada abriu as minhas pernas com as suas e me invadiu com seu membro de uma só vez.

Eu gemi com o ato, e Michael gemeu em meu ouvido retirando o seu membro e investindo mais uma vez, só que desta vez mais profundamente.

— Assim. Empine para mim garota. Ele gemeu em meu ouvido enquanto segurava uma de suas mãos na beirada e a outra em meu ventre para me segurar no lugar.

Muito lentamente ele investia, mas algo o dominou e Michael ia cada vez mais rápido. Suas investidas foram aumentando e ele estava em poucos momentos me levando a loucura.

Seus beijos em minhas costas e pescoço faziam dele um homem quase descontrolado, suas mãos me apertavam a cintura o ventre e iam me estimulando como podia, as vezes seus lábios procuravam os meus e sua mão que estava na beirada apertava os meus seios procurando me deixar cada vez mais insana.

— Voe comigo. Voe garota. Michael gemeu quando investiu mais pesado dentro de mim me apertando ainda mais em seus braços e explodiu ofegante em meu ouvido me levando junto com ele.

Eu podia sentir o seu coração bater disparado em minhas costas quando ele me apertou ainda mais em seus braços para poder se recompor um pouco.

Michael deslizou de dentro de mim se afastou e pareceu tentar recompor a sua respiração descompassada sem me olhar.

— Me desculpe. Eu não sei o que me deu. O seu contrato não abrange isso. Ele falou parecendo brigar com ele mesmo em seu interior.

Ele parecia arrependido, e isso era intragável alem de ser um insulto para comigo.

— Sem problemas Michael. Eu estou sendo paga para sustentar uma mentira. Isso faz parte do meu trabalho. Não ligo. Afinal é só uma transa casual e sem vínculos. Eu disse me sentindo mal com as minhas próprias palavras.

Mas ele não percebeu que eu desviei meus olhos de propósito dele. E aquilo me aborreceu. Eu jamais tive tais sentimentos me conflitando.

Michael saiu da piscina e vestiu suas roupas sem me olhar nos olhos.

— É melhor sair logo dai. Você pode se resfriar e amanhã temos que começar a dar margens para o que veio fazer, ou isso será uma grande perda de tempo. John virá logo sedo trazendo um cronograma. Eu preciso que esteja bem. Afinal está sendo paga para isso. Michael falou me fazendo me sentir como sempre me senti quando fazia aquele tipo de trabalho.

A mais suja de todas. Mas era para isso que eu estava ali. Para ser algo em suas mentes por um momento e nada mais.

continue… Kisses in your hearts…..

Advertisements