7.CAP…

Eu gostava de minha casa, eu a tinha comprado depois de uma breve saída ornamental com um embaixador que sempre achei estranho.

Ele precisava ostentar uma imagem como Michael, mas eu sabia que o que diziam dele era verdade, o embaixador Francis da França, era mesmo gay. Enquanto ao astro, eu tinha certeza que não.

Eu me levantei e olhei o sol lá fora, os seus raios adentravam pela minha sacada e sorri diante de Pool estirado numa esteira a beira da piscina.

Eu tomei um banho coloquei um biquine me lambuzei de cremes peguei um chapéu que mal deixava ver a minha face e descia as escadas para me encontrar com ele, já que eu deveria ir para Neverland só a tardinha.

Então, eu pegaria uma cor para alucinar mais um pouco a mente do meu querido amante de mentirinha.

— Bom dia senhorita Ava. Irá tomar o seu café agora? Maria falou vindo me encontrar no pé da escada.

— Bom dia Maria, eu não quero café.  Leve-me um suco com algumas frutas, eu estarei na piscina com Pool. E apronte as minhas malas. Eu irei me ausentar por três meses. Eu falei passando por ela e seguindo os corredores.

— Okay senhora, e o do senhor Adams também? Maria falou me olhando no mesmo lugar.

— Não. Ele fica. Eu irei sozinha, não é longe mesmo. Eu falei sem parar para onde ia.

Eu podia sentir os olhos atentos dos meus empregados em mim. Eles deveriam saber o que eu era e o que eu fazia, mas nunca poderia dizer ou provar nada. Para todos, eu era uma mulher sozinha e que tinha belos e ricos amantes e para me distrair, eu cantava sedutoramente. Nada mais que isso.

— Bom dia dorminhoca. Já viu que horas são? Não disse que iria para o mundo mágico Hoje? Pool falou sem abrir os seus olhos para mim.

— Bom dia para você também. Eu não sabia que estava tão ansioso pela minha partida. O que pensa em fazer em minha casa? Dar festinhas para a Playboy? Eu falei me sentando na esteira e me arrumando para o banho de sol.

— Não é nada disso. E não dou festinhas para as coelhinhas. Já passei da idade disso. Pool falou erguendo a sua cabeça e arrumando o seus óculos escuros.

— Sei. E o que significa aquele cheque no mês passado? Eu notei Roger disfarçar quando incluiu ele nas despesas. Eu falei mostrando que não era tola.

— Aquilo foi um deslize. Você viu como ela era linda? Wow! A capa do mês de fevereiro foi uma loucura. E não acredito que recusou a oferta que lhe lançaram para sair na capa. Você é mais linda do que muitas que tem ali. Pool falou retirando os seus óculos e olhando Maria vir com a bandeja de sucos e frutas.

— E mostrar para os meus possíveis clientes toda a mercadoria? Nem pensar. E não era tanta grana assim. O que ganharei do astro cobre muito mais a oferta da playboy. E agora me deixe pegar para o meu novo amor uma amostra do que vai ter. Eu disse rindo alto e Pool chaqualhou a cabeça em desaprovação.

— O seu suco senhora. Deseja um também senhor Adams? Maria falou já me servindo.

— Claro Maria. Pool falou se sentando na sua cadeira e me vendo sorrir diante do que eu via em minha mente.

O dia transcorreu como deveria ser. Verifiquei as minhas malas e esperei a limousine do astro vir me buscar.

Dei algumas ordens para a Maria e adverti Pool sobre as suas festinhas. Eu detestava chamar atenção e não queria ter problemas agora quando estava trabalhando com o astro.

Ele era sério no que desejava e eu faria o meu melhor alem de me divertir.

— Senhora, a limousine chegou aos portões. Frank falou me vendo ler uma revista sobre o astro na sala.

— Bom, chegou a hora. Vocês dois se comportem. E você Frank, olho neles. Eu disse me levantado e sabendo que Pool tinha uma quedinha por Maria.

— Senhora! Maria falou toda ruborizada.

Pool só esboçou um sorriso e veio até a mim.

— Cuidado criança. Eu ainda não concordo com isso que faz e muito menos em não levar Frank. Ele pode ser o poderoso e esquisito Michael Jackson, mas ele ainda é um homem. Pool falou arrumando uma mecha que caia em minha face.

— Eu conto com isso Pool. E não farei nada com o grande mega star que ele não queira. Eu falei rindo alto e o abraçando apertado.

— Deus! Ela e mais louca que a mãe. Pool falou me apertando em seus braços e me beijou a face.

Nos despedimos e segui em direção ao mundo encantado de um homem que fazia dele o seu refugio particular, mas que agora esconderia mais um segredo de sua vida.

A verdade sobre seu mais novo amor para o mundo. Eu.

Quando passei pelos portões de Neverland, o por do sol já se iniciava e olhei aquele magnífico espetáculo se ir devagar por entre as árvores.

O carro parou no mesmo lugar que me trousse da primeira vez e o motorista desceu para abrir a porta e pegar as bagagens.

— Seja bem vinda mais uma vez senhorita. O motorista falou me ajudando a desce e notei a porta da casa se abrir e o astro surgir com duas crianças pequenas um de cada lado.

— Obrigada. Eu falei vendo o astro me olhar com um olhar esperançoso.

Ele em seu interior desejava que a sua mentira desse certo e eu ao ver seus olhos desejava que eu pudesse fazer o meu teatro como sempre fiz sem maiores problemas.

Mas algo estranho me invadiu quando ele sorriu para mim e senti o meu coração disparar no peito mais do que deveria.

Talvez tenha sido o por do sol que presenciei quando cheguei. Talvez aquele lugar fosse mesmo mágico e me fazia sentir sentimentos que a muito tempo não sentia.

Mas isso era algo que passaria logo e eu voltaria ao meu estado normal em breve. Afinal era só mais um trabalho. Com ou sem prazer.

continue…. Kisses in your hearts….

Advertisements