1 CAP….

Nem tudo é verdade, e nem tudo é real no mundo em que vivemos. A ilusão e a mágica da sedução é usada para entreter as almas sem encanto, e eu era perfeita nisso.

Mas, como alguém sábio um dia nos disse, o show precisa continuar e eu fazia o meu melhor.

— Cinco minutos senhorita Clark. O menino que insistia entrar sem bater enfiou a sua face no camarim.

— Okay boby. Eu disse me levantando e olhando mais uma vez a minha face no espelho.

Ele sorriu quando me viu de pé e pelo reflexo do espelho eu vi ele ser puxado para trás e sumir atrás da porta. Só poderia ser Pool, e eu sorri diante do que escutava.

Pool Adams era meu empresário e amigo, desde quando me descobriu cantando nos cabarés de Paris ele me ajudou a ter a fama que tenho. E o resto, eu aprendi com a vida e o tempo.

— Ele não aprende nunca. Qualquer dia deste eu dou um jeito nele. Pool falou já adentrando no meu camarim.

— O deixe. É só um garoto. Agora me ajude com este zíper, ele sempre emperra. Eu falei retirando o meu roupão e deixando ele na cadeira.

— A casa está cheia Ava. Está noite temos algumas pessoas ilustres, famosos e gente importante. Pool falou me fazendo revirar os olhos no reflexo que eu via no espelho enquanto dava os últimos retoques no figurino.

— Isso não me interessa. São ricos e esnobes. Em pouco tempo ficam bêbados e são retirados por seus assessores e seguranças que tratam de escondê-los de seus escândalos. Eles só querem uma bela noite de sexo e nada mais. No outro dia lhe esquecem. Eu falei vendo ele terminar de fechar o zíper.

— Mas pelas flores que anda recebendo. O seu admirado secreto está mais que apaixonado. Pool falou me mostrando o camarim cheio de flores de todos os tipos e terminando de fechar o zíper.

Eu desviei os meus olhos para o que ele se referia e respirei fundo.

— Não acredite em tudo o que vê Pool. Neste mundo em que vivo quem ligaria em amar de verdade alguém que pensa que se é mais fácil pagar e a ter sem mais nenhuma ligação. É isso que eles procuram. E eu só faço o que eles desejam, mas um dia irá acabar. Eu falei escutando batidas na porta.

— Está na hora. A voz do garoto soou alto no corredor.

— Eu a compreendo. Você nunca esqueceu, não? Pool falou me vendo pegar a minha estola.

— E quem esqueceria. A vida dela custou isso. Eu disse me lembrando do passado e já saído em direção a porta e mais uma noite de show.

Eu podia ouvir a som tocar alto e as vozes do mais famoso cassino de Las Vegas estavam em toda parte enquanto eu caminhava em direção ao palco. A casa estava mesmo cheia, o senhor Perez realmente se empenhou na divulgação do show.

Eu já era bem famosa no que fazia e até tive que aguentar Pool fazer o seu discurso e me convencer de como um segurança corpulento era preciso. O assédio dos fans começava a ser perigoso.

Eu não tinha fãns convencionais como toda celebridade e astro de Hollywood ou do rock. Os meus fãns eram outros.

Eram pessoas comuns, ilustres, magnatas de grandes empresas e até alguns homens que estavam a cima de qualquer suspeita de desejar e admirar uma mulher como eu.

Mas os meus maiores problemas eram com fans que pensavam que o seu rico dinheiro e poder comprava tudo com facilidade.

E este tudo para eles, incluía eu.

— Está pronta senhorita Clark? A voz do homem com seu fone no ouvido falou alto por causa do som quando cheguei perto do palco.

— Sim. Podemos começar. Eu falei vendo as cortinas vermelhas na minha frente e me posicionei no meio do palco para começar o meu show.

Eu respirei fundo e desamassei mais uma vez até a fenda na base da cocha o vestido longo de rubis com decote princesa que vestia.

Os cabelos longos e soltos deixavam um ar mais que sexy em mim. Meus olhos verdes refletiam conforme a luz os atingia e os meus lábios da mesma cor do vestido dava um visual de matar.

Era o efeito que sempre causei nos homens que enchiam todos os lugares para me ouvirem cantar e dançar entre eles, e escutei o apresentador me anunciar.

— Damas e cavalheiros desta noite. O cassino The Palms lhes trás a sensação de Paris.  Ele lhes apresenta! A senhorita Ava Clark. O apresentador anunciou a todos o meu nome e as cortinas se abriram deixando as luzes dos holofotes me atingirem.

Eu sorri para todos com um sorriso deslumbrante e olhei para a plateia que me aplaudia de pé com o meu coração disparado. Sempre era assim desde a primeira vez que pisei em um palco para mostrar a todos o meu verdadeiro talento.

Minha mãe sempre dizia que a canção e a voz era uma dádiva de Deus. E que eu era agraciada por ele por ter a mais bela voz que existia.

Então, escutei o som do piano da orquestra ao fundo dar a minha deixa, e mais uma vez eu cantaria para as pessoas a minha frente e circularia entre as mesas causando nos homens o mais puro delírio e fascinação.

Pois a musica que escolhi para esta noite era Nasty Naughty boy.(Garoto indecente, malcriado.)

Continue…. Kisses in your hearts…

Advertisements