3.CAP.. “ A Primeira Noite”..

 

 Eu segui em frente e passei por ele entrando em nosso quarto. O quarto era grande e estava todo arrumado. John havia feito um excelente trabalho em arrumando ela do modo que queríamos.

As diversas bagagens estavam espalhadas por toda parte e que logo que amanhece-se alguém daria um jeito de as colocar no lugar.

Quando passei por Michael, ele me seguiu e fechou a porta atrás dele e veio se sentar na poltrona perto da janela e ficou me olhando. 

— Eu recebi o recado do Booby sobre Matt. Como ele está? Eu fui ver Vick antes de vir para o quarto. Ela me pareceu mais calma. John está no andar de baixo. Disse que amanhã precisa voltar a cidade. Mas que falará os últimos detalhes do que tem que ser feito antes de ir. Michael falou me vendo procurar nas minhas malas o que eu precisava.

— Matt só está cansado. E Victory só estranhando o lugar. Logo, logo eles se acostumam. É o fuso horário que os desregula. Eu também sinto os sintomas. Detesto isso. E quanto a John. Com certeza conversaremos. Eu disse achando o que queria e olhei para ele com uma face nada amigável.

Michael sabia do meu temperamento. E detestava ser surpreendida com coisas que ele sabia que me aborreceriam. Mas com certeza ele tentaria até o fim que os cavalos permanecessem.

— Ainda zangada comigo? Ele falou sabendo o que eu pensava.

— Não vou discutir com você o óbvio senhor Jackson. Sabe que eles não podem ficar. Não seja teimoso. Eu disse fugindo de seus olhos pidões e ia em direção ao banheiro.

Se eu ficasse ali ele facilmente me convenceria. Ele tinha esta certa facilidade quando me olhava com aqueles olhos sedutores. Foi assim que ele me convenceu a cometer esta loucura toda.

Mas não cheguei nem entrar no banheiro e Michael me enlaçava pela cintura e me puxava em seus braços apertados.

— Nem que eu tente lhe convencer com algo que sei que vai a loucura? Ele falou invadindo os meu pescoço com seus beijos molhados e sua mão que subia por debaixo do meu vestido.

— Não vale jogar sujo Michael. Isso é trapaça. Eu disse largando o que tinha em minhas mãos e o envolvendo em meus braços.

— Não é trapaça. Só conheço o seu ponto fraco, que alias é igual ao meu. E amo quando me diz senhor Jackson. A deixa sexy. Ele falou já abrindo todo o zíper que fechava o meu vestido e já o deslizando em meus ombros o fazendo cair ao chão.

Não dissemos mais nada. Os dias tinham sido exaustivos e nos amar era a única maneira de nos carregar para mais um dia de manobras e decisões perigosas.

Michael me conduzia para a cama com beijos alucinados. E o despir, foi a minha única solução.

Quando ele deitava seu corpo sobre o meu na imensa cama, ele retirava as ultimas peças de minha langerrie e tomava o meu corpo em beijos e lambidas que pareciam até balsamo para as minhas dores e aflições.

Por onde seus lábios e língua passavam eu sentia o meu corpo incendiar. Suas mãos ágeis me invadiam tirando de mim gemidos contidos a dias.

Quando os seus lábios invadiram a onde ele mais amava, quase me levou ao êxtase. Mas Michael sabia me conduzir para uma longa noite de amor.

Foi assim quando nos conhecemos, e era assim até hoje. Mas quando ele percebeu que eu quase explodiria em seus lábios, ele veio aos meus e me mostrou o que ele mais amava em mim.

— Isso meu amor. Se entregue com sempre faz. Prove o que me dá. E prove o que sempre amei em você. Michael sussurrou entre os nossos lábios e me fez incendiar com seus toques.

— Você sempre me teve por completo. Agora me de o que é meu por direito. Eu disse o virando de cima de mim e invertendo as posições.

— Sou todo seu meu amor. Ele falou com um sorriso malicioso nos lábios e sabia o que eu faria.

— Que bom que sabe disto. Eu disse depositando nele os meus beijos mais vorazes.

Eu desci a minha língua e meus lábios por todo o seu corpo fazendo ele gemer baixinho diante a expectativa de eu prová-lo.

Eu não deixava um só pedaço sem tocar. Quando cheguei ao seu membro e o envolvi em meus lábios ele gemeu alto de prazer.

Com uma de suas mãos agarradas no lençol e a outra acariciando os meus cabelos, ele jogou a cabeça para trás e fechou os olhos em delírio.

— Med…. Eu não aguentarei muito tempo. Ele mal conseguia falar.

— Nossa! Está assim tão cansado? Eu disse vendo ele abrir os olhos e me fitar sorrindo.

— Não. Mas se você fizer mais algumas investidas desta forma, eu não me responsabilizo. E não é assim que a quero. Ele falou em puxando para cima me jogando deitada na cama e se enfiando no meio das minhas pernas já se posicionado para me possuir.

— Sei. O grande astro pop. Eu disse o puxando para me penetrar.

Eu sabia que ele estava cansado. Enfim, foram longos dias de agitação e ele não era nenhum garotinho mais.

 Mas ainda podia me deixar exausta em dias de mais tranquilidade. E na verdade eu estava um trapo também.

Quando entrelacei as minhas pernas em sua cintura ele me penetrou com ansiedade.

Suas investidas e gemidos foram se intensificando quando eu o estimulava com meu corpo.

Seus beijos aos meus seios eram ardidos e me fazia gemer com a aproximação do êxtase.

Michael se aprofundava em mim e suas investidas já estavam sem controle. Ele me apertava em seus braços e sussurrava palavras doces e sexy em meu ouvido, me levando cada vez para mais perto do precipício.

Com o suor escorrendo de nossos rostos mudamos algumas vezes as posições para ele admirar o seu trabalho e assim o levar ao ato final.

Quando ele iria explodir dentro de mim e me levar com ele. Michael me apertou a cintura com as mãos para me conter no lugar, e investia pesado dentro de mim explodindo e gemendo alto jogando a sua cabeça para trás em total entrega.

Os espasmos e investidas foram diminuindo e Michael me abraçou apertado procurando restabelecer a sua respiração mais escassa, deslizou de dentro de mim e me olhou em meus olhos quando me virou para ele e deitou do meu lado.

— Eu a amo tanto. Que bom que nossos caminhos sempre tiveram ligados. Eu não saberia fazer o que fiz sem você do meu lado. Michael falou retirando uma mecha de cabelo dos meus olhos e me deu um beijo demorado.

— E eu jamais sobreviveria sem você. Eu disse o envolvendo a cintura e adormecemos abraçada a ele de exaustão.

O outro dia já tinha nascido a algumas horas e ainda continuávamos dormindo em uma paz que parecia que nos faltava agora.

Eu estava deitada em seu peito quando escuto batidas sutis na porta do quarto.

Com uma certa dificuldade abri os olhos e olhei o relógio na cabeceira da cama. Já eram onze horas.

Com certeza era John querendo ir em borá. Ele tinha muito trabalho a ser feito e ainda estava ali.

— Michael acorde. Eu disse dando um beijo no seu peito e ele me abraçou apertado.

— Não amanheceu ainda. Deite e durma meu amor. Eu estou aqui. Michael resmungou as palavras contidas em um sono pesado.

Eu sorri diante daquilo e dei um beijo em seus lábios e sai de seus braços devagarinho para ele não acordar com as batidas na porta.

Eu me levantei, ajeitei os cabelos, coloquei a camisa de Michael que estava em cima da poltrona e fui atender quem batia.

Mas quando eu abro a porta dou de cara com um homem que pareceu ficar envergonhado.

continue…. Kisses in your hearts…..

Advertisements